A jogada dos parceiros do senador Cuecão. Sai e entra o filho

Pedro Ribeiro


O senador Chico Rodrigues (DEM-RR) foi afastado do cargo por 90 dias, mas o presidente do Conselho de Ética, Jayme Campos (MT), do mesmo partido, sugeriu uma licença de 121 dias. O número específico não é coincidência: o senador que se licencia por um período maior que 120 dias deve ceder o cargo ao suplente. O suplente de Chico é seu filho Pedro Arthur, outro filiado ao DEM de Davi Alcolumbre. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Diante da queixa geral sobre sua “decisão monocrática”, o ministro Luís Roberto Barroso deu um xeque-mate: mandou o caso para o plenário. Desde o escândalo do dinheiro nas nádegas, os senadores tentam pretextos para minimizar a rebordosa. A licença é a jogada mais recente.

Mandato bunda-mole

A pretendida recondução ao cargo, com mudanças nas regras e necessidade de voto de apoio, pode fazer com que o presidente do Senado poupe e proteja o senador flagrado pela PF com dinheiro escondido em meio as dobras da bunda.

O Brasil “evolui” no tempo, sentido de frente para trás. Não dá nem para dizer que recua. Em 46, um deputado do PTB, Edmundo Barreto, teve mandato cassado por ter se deixado fotografar apenas de cueca embaixo do paletó no plenário da Câmara. Já era uma espécie de visionário do que seria o em grande parte o Parlamento Brasileiro. Hoje, provavelmente seria chamado apenas de deputado bunda-mole. Mas com mandato.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal