A moçada do país do futuro

Pedro Ribeiro


Alceo Rizzi

Duro é saber que a construção do Pais nos próximos anos e décadas vai acabar nas mãos dessa moçada que hoje invade praias e bares, se aglomera e promove comemorações e festas clandestinas como se não houvesse uma tragédia sanitária. Traz a compreensão, em certa medida, do que se reproduz na presidência, neste caso por obtusa e indigente capacidade de discernimento em uma biografia de insanidades pela formação e educação que, a rigor, essa moçada quase toda de classe média para cima, deveria ter de diferenciado. Não estão nos pancadões da periferia, ainda que eles aconteçam, os exemplos mais evidentes de descaso. Se há, entre eles, mesmo nas praias, chefes de família despreocupados, devem ter sido, à sua época, parte da moçada de hoje, diferença apenas de não haver então alguma ameaça que não fosse eles próprios.

Alceo Rizzi é jornalista

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="736021" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]