A política paranaense e o Equinócio

Pedro Ribeiro


 

Grupo de jornalistas da velha guarda discutia, no sábado, durante comemoração do Equinócio, em Porto de Cima, Morretes, quem será o próximo governador e os senadores paranaenses nas próximas eleições. A discussão foi longa até se chegar à conclusão quase que unânime de que o governador do Paraná será o senador Alvaro Dias (Podemos) já que está difícil para decolar em sua pretensão rumo ao Palácio do Planalto.

Caso Alvaro não desista de querer governar a Nação, hoje, o deputado estadual Ratinho Junior (PSD), é o que estaria em melhor posição. E se Alvaro Dias entrar de cabeça na campanha do seu irmão, Osmar Dias, este não teria chances? A discussão continua. E a família Barros? Quase que definido o governador, voltamos para o Senado. Requião e Beto Richa já estão eleitos, disse um “analista”, o que foi contestado pela possível candidatura do procurador Dallagnol.

Mas Richa está muito bem no interior do Estado, retrucou o contestado e Requião, com o PMDB, os professores e agora como um dos líderes do PT também tem chances. Aí vem outro: e se Ricardo Barros for para o Senado? O caldo engrossou e a chapa esquentou quando um outro disse que Alvaro Dias também poderia sair em campanha para Osmar ao Senado. Depois de horas e entre uma cerveja e outra, a política paranaense ficou em segundo plano dando lugar, novamente, ao objetivo do encontro: comemoração do Equinócio. Foi melhor.pedro.ribeiro

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal