Sintonia Fina - Pedro Ribeiro
Compartilhar

A resposta da Anvisa que tirou o sono de Bolsonaro

 A resposta do presidente da Anvisa, Antonio Barra Tores, sobre as acusações do presidente Jair Bolsonaro em..

Pedro Ribeiro - 11 de janeiro de 2022, 10:01

***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 14.12.2021 - O presidente Jair Bolsonaro participa de evento de lançamento programa Rodovida 2022, da Polícia Rodoviária Federal, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASÍLIA, DF, 14.12.2021 - O presidente Jair Bolsonaro participa de evento de lançamento programa Rodovida 2022, da Polícia Rodoviária Federal, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

 

ANÚNCIO

A resposta do presidente da Anvisa, Antonio Barra Tores, sobre as acusações do presidente Jair Bolsonaro em relação a possíveis interesses escusos de servidores da agência sanitária na questão da vacina para crianças, tem tirado o sono do autoritário comandante do Palácio do Planalto. Neste caso, o capitão levou uma invertida do general.

Bolsonaro tem se queixado, dizendo que a nota de Barra Torres foi forte e quele não teria acusado o presidente da Anvisa de corrupção.“Qual o interesse da Anvisa? Qual o interesse daquelas pessoas taradas por vacinas?”, disse Bolsonaro.

As supostas acusações do presidente caiu como uma bomba no meio militar de alta patente, já que as Forças Armadas consideram o Almirante Barras Torres um cidadão comprometido com a ciência e com os interesses

ANÚNCIO

Vou morrer sem conhecer riqueza, senhor presidente, mas vou morrer digno” –, disse Barra Torres em um dos trechos da nota. “Se o senhor dispõe de informações que levantem o menor indício de corrupção sobre este brasileiro, não perca tempo nem prevarique. Determine a imediata investigação policial sobre minha pessoa, aliás, sobre qualquer um que hoje trabalhe na Anvisa, que com orgulho eu tenho o privilégio de integrar.”

E afirmou ser “cumpridor dos mandamentos” cristãos e jamais ter levantado “falso testemunho”, Barra Torres pediu que Bolsonaro “exerça a grandeza que o seu cargo demanda e, pelo Deus que o senhor tanto cita, se retrate”.