Advogado das “coelhinhas” está com carteira da OAB suspensa e pede aposentadoria às meninas

Pedro Ribeiro


 

O empresário e fotógrafo de modelos, André Sanseverino, que acabou sendo criminalizado – sem direito a julgamento – pela Rede Globo, durante programa Fantástico, de domingo, dia 23, quando foi acusado de assédio a garotas da revista Playboy, da qual é sócio, está, agora, sendo vítima de uma ação judicial que, a nos ver, também parece descabida, sem nexo e bem típica de advogado espertalhão que busca na fragilidade de algumas pessoas, o seu veio de ouro.

Na ação, o advogado Marcelo Lombardi, que representa as “coelhinhas vítimas” e que está com sua carteira da OAB suspensa pela Seccional Paraná – os motivos não foram revelados – reivindica pagamento de R$ 5 mil mensal para cada uma das meninas – oito ao todo – para os próximo 20 anos, alegando que elas não tem mais condições físicas e psicológicas para trabalhar, como aposentadoria vitalícia e mais R$ 100 mil de indenização, também para cada uma, o que totalizaria R$ 8 milhões.

Sanseverino, que está juntando provas de sua inocência, nos conta que nunca passou por tamanho constrangimento e nunca viu uma ação tão fora de propósito como a que está sendo imposta pelo advogado Marcelo Lombardi. Segundo ele, “isso está cheirando má fé no uso da profissão, a qual, está suspenso pela OAB, justamente por práticas ilegais e imorais da profissão”.pedro.ribeiro

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="487848" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]