Agora malas serão cobradas no vôos no Brasil

Pedro Ribeiro


 

Se uma passagem de avião de Curitiba a Maringá – ida e volta – já custa um absurdo, ou, R$ 1.500, quase o preço de uma passagem de vôo internacional – Miami, por exemplo – imaginem com o fim da tarifa grátis para a bagagem. A partir de março, as companhias aéreas iniciarão a cobrança de bagagem, o que não garantirá bilhetes de voo mais baratos, na comparação com os patamares atuais.

O presidente da Gol, Paulo Kakinoff, já avisou: não há projeção de redução de preço por parte da Gol. “(O consumidor) não vai comparar meu preço antes e depois da regra. Vai comparar o meu preço com o do meu competidor (no dia em que quiser viajar).” Kakinoff acrescentou ainda, em entrevista ao Estado, que as tarifas aéreas são dinâmicas, variando conforme procura, data da viagem e câmbio – já que cerca de 50% dos custos do setor estão atrelados ao dólar.

A nova regra da Anac atende a uma demanda antiga do setor aéreo, que defendia o fim da franquia de bagagem gratuita, de até 23 kg por passageiro nos voos nacionais, com o argumento de aproximar as normas brasileiras aos padrões internacionais. Hoje, apenas Venezuela, Rússia e México também exigem que as companhias aéreas transportem pelo menos uma mala sem cobrar, segundo a própria agência reguladora.pedro.ribeiro

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="487713" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]