Alvaro Dias, candidato à presidência do Senado, para o bem do Paraná

Pedro Ribeiro

 

O aliado que Ratinho Junior precisa para o Paraná ter força política no Congresso Nacional

 

Ao pedir apoio aos três senadores paranaenses, Alvaro Dias, Oriovisto Guimarães e Flávio Arns, para que voltem suas atenções em defesa das demandas e necessidades do Paraná, o governador Carlos Massa Junior deu lições de cidadania e mostrou que está no governo com a nítida intenção de unir forças políticas e empresariais na busca do crescimento e desenvolvimento do Paraná, pois só assim ele conseguiria cumprir suas promessas de transformar o Estado em exemplo de educação, com IDEB dentro dos padrões recomendados pela ONU, e segurança pública que traga tranquilidade e conforto às famílias.

O governador também se reuniu com a bancada federal e foi ao presidente da República, Jair Bolsonaro, para mostrar que inaugura, no Paraná, um novo modelo de gestão pública, com redução de despesas da máquina pública e tolerância zero para atos ilícitos que venham a sangrar os cofres do Estado.

Ao contrário de Ratinho Junior, vemos o ex-senador Roberto Requião remando contra, ironizando a candidatura de seu colega de Estado e Senado, Alvaro Dias, que coloca seu nome como candidato à presidência da casa. Mesmo de pijamas, já que não se reelegeu e levou um duro golpe nas urnas, o ex-senador e ex-governador não dobra um mínimo de joelhos pela causa paranaense. Segue, amargo, contra tudo e todos, em nome de uma esquerda bolivariana esfacelada e próxima de ser varrida da face da terra.

Alvaro Dias tem um histórico político que o capacita a não apenas se candidatar à presidência do Senado Federal, como a efetivamente presidir aquela casa infestada de ratos e serpentes. Não podemos imaginar, pelo menos aqui no Paraná, que um digno ex-representante do povo paranaense no Congresso Nacional, como foi Requião, vire novamente as costas ao Estado e prefira candidato da estirpe de Renan Calheiros, um cangaceiro com  nome manchado na justiça e que nada fez para que aquela instituição tenha legitimidade para representar o povo.

Alvaro Dias teve um revés em sua candidatura à Presidência da República e teve também culpa no fracasso. Já que seu partido, o Podemos, ainda não tinha expressão nacional para montar bases que pudessem lhe auxiliar, errou na montagem de sua equipe de trabalho, um pequeno grupo desestruturado centrado no norte paranaense e na capital. O senador também foi vítima da imprensa, em especial da Rede Globo, que não lhe deu a liberdade para expressar suas opiniões no debate, engessando-o como se fosse um jornalista ou comentarista de estúdio de televisão.

Sua candidatura à Presidência da República foi uma prova de fogo, a qual acreditamos que tenha aprendido a lição para, agora, corrigir os erros e voltar ao cenário nacional da política como presidente do Senado. Sua aceitação é grande na casa e se lograr êxito o Paraná será um dos maiores beneficiados.

 

 

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.