Apoios de Ratinho Junior. Vai faltar palanque no Paraná

Pedro Ribeiro


Com as definições partidárias batendo à porta do Palácio Iguaçu, o governador Ratinho Junior (PSD) terá que se virar nos trinta para atender a todos os partidos que farão parte de seu projeto de reeleição. E mais: tudo indicado que terá que se equilibrar em três canoas os candidatos ao Planalto: de Rodrigo Pacheco (PSD), Sergio Moro (Podemos) e Jair Bolsonaro (PL).

O presidente do PL, deputado Giacobo, já disse que a prioridade é a reeleição de Ratinho Junior, mas que Bolsonaro precisa de palanque do Paraná. O deputado Ney Leprevost foi o encontro nacional do PSD e reafirma que o partido no Paraná estará com Rodrigo Pacheco, presidente do Senado, e provável candidato do PSD no plano nacional.

O Podemos que está na base do governador pretende filiar o prefeito de Cascavel, Leonardo Paranhos, e indicá-lo a vice de Ratinho Junior. Dessa forma, o senador Alvaro Dias será o candidato preferido da aliança ao Senado com espaço garantido para a campanha de Moro.

Giacobo já conversou com o ex-senador Osmar Dias e o colou no tabuleiro da eleição de outubro de 2022. Osmar pode também se filiar ao Podemos e se candidatar a Câmara dos Deputados e junto com Deltan Dallagnol, ocupar de quatro a seis cadeiras no legislativo federal.

As peças estão se posicionando no jogo. Ratinho Junior tem que atender o PSB, PSDB, PSC, Republicanos e outros aliados. Com essa salada, o governador terá que procurar a sapiência política do pai, Carlos Massa (Ratão) ou dos universitários.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="806216" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]