As eleições de outubro e os produtores de “fake news”

Pedro Ribeiro

requião filho deputado golpe

 

Na semana em que uma repórter da Gazeta do Povo levou uma saraivada de críticas de colegas por ter participado de uma festa, também de colegas, usando um vestido com imagens de recortes do Jornal Bem Paraná, insinuando uma “fake news”, o deputado Requião Filho mexe no vespeiro.

O jovem parlamentar, de oposição ao governo do Estado, está indignado porque a Controladoria Geral do Estado (CGE) não responde a seus pedidos de informações sobre “fake news” e proibição de contratação de pedageiras investigadas.

”É mais uma notícia falsa. Quando se encerrarem os contratos, automaticamente a realização de novas licitações de rodovias serão repassadas à União. Ou seja, de nada valerá esta resolução da Controladoria Geral do Estado, sendo que quem administrará isso tudo será o Governo Federal”, alertou.

O que o deputado deveria ficar atento e inclusive levantar o assunto no plenário da Assembleia Legislativa é sobre as pessoas denunciadas como criadores de “fake news” em campanhas anteriores – e sabemos quem são – e já estão esfregando as mãos para as próximas eleições.

Vai uma dica: um deles está na Prefeitura de Curitiba e, provavelmente, já tramando como vai operar nas próximas eleições. O outro, que deu entrevista à Band e foi exposto ao ridículo, também está na área. Talvez juntos.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.