Até quando Moro vai suportar as armadilhas do governo?

Pedro Ribeiro

sergio moro, palestra, universidade de buenos aires, críticas, internet, redes sociais

Bolsonaro recua e diz que chances de recriação do Ministério da Segurança Pública é zero

O crescimento político e institucional do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, que vem realizando efetivas ações contra o crime organizado no país e protegendo as fronteiras, tem provocado desconforto junto ao grupo político do presidente Jair Bolsonaro ao ponto de se pensar em desestabilizá-lo, retirando da sua pasta a Segurança Nacional, como foi feito com o Coaf, numa demonstração clara de enfraquecimento.

Moro não caiu nas provocações, embora deva estar pensando com seus botões, como dizia o poeta sertanejo Zé Limeira: mas que diabos fizemos eu? Um dos mais destacados ministros do governo Bolsonaro, ao lado de Paulo Guedes, da Economia, Sergio Moro vem sendo colocado à prova todos os dias como aconteceu recentemente na entrevista que deu ao Roda Viva onde o grupo de jornalistas que o entrevistou tentou de todas as formas desestabilizá-lo. Não conseguiu.

Talvez Moro esteja pagando o preço da competência e de seu desejo de ver o Brasil como um país melhor, principalmente sem a corrupção que hoje passa dos limites e atinge níveis degradantes como divulgou nesta semana a Transparência Internacional sobre percepção da corrupção.

Se Moro estaria sendo linchado politicamente pelo grupo bolsonarista que rodeia o Palácio do Planalto, dentro da própria casa ele tem um defensor forte: o general Augusto Heleno. Mas Heleno também é uma espécie de porta-voz do presidente Bolsonaro quando o calo aperta e, foi ele que, mais uma vez, que saiu como bombeiro de plantão.

“A proposta de recriar o Ministério da Segurança Pública não é do Presidente Jair Bolsonaro, e sim da maioria dos Secretários de Segurança Estaduais, que estiveram em Brasília; nesse 22 de janeiro. Em nenhum momento, o Presidente disse apoiar tal iniciativa”. (General Augusto Heleno).

CHUTAR O BALDE

Moro é, hoje, seguramente, um símbolo do combate à corrupção e ministro mais popular do governo. Sereno em suas palavras, prefere engolir sapos a sair discutindo destrambelhadamente com a imprensa como faz o presidente Bolsonaro. Moro não joga para ele e sim para a população e para o bem o do país.

Mais uma vez Moro silenciou diante dos boatos da retirada da Segurança Pública de sua pasta. Mas resta saber até onde vai sua paciência. Pelo seu perfil, está próximo de chutar o balde e se transformar em um dos advogados mais requisitados do pais e quem sabe um professor de universidade no exterior, pois competência para isso ele tem. Infelizmente o que não seria bom para o país, para a população que aposta nele, inclusive como um provável futuro presidente da nação.

BOLSONARO RECUA

Informações vindas de Brasília nesta sexta-feira dão conta de que o presidente Jair Bolsonaro recuou em sua intenção de desmembrar a Segurança Pública da Justiça. “A chance de recriação do Ministério da Segurança Pública é zero”, disse o presidente.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="680521" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]