Bateu, levou e a guerra continua com todos seus horrores

Pedro Ribeiro


 

Os ataques que o presidente Jair Bolsonaro vem sofrendo, com a cumplicidade da mídia, são, em parte, por sua própria culpa, por querer falar o que o povo gostaria que falasse mas, como chefe da nação, teria que impor um filtro, um limite, principalmente quando ataca instituições democráticas, entre elas o Congresso Nacional e o Supremo Tribunal Federal. Merecidos…

O caso mais recente, envolvendo a Rede Globo, que teria feito conclusões próprias sobre suposta participação de Bolsonaro no assassinato da vereadora Marielle, acabou servindo de descarga para o presidente vir a público, através das redes sociais, e aproveitar para vomitar os sapos que vem engolindo ao longo dos meses pela campanha difamatória da emissora contra seu governo e sua família.

LEAO E HIENAS

Mas, poucos dias antes, o próprio presidente teria colocado nas mesmas redes sociais, um vídeo onde se posta como um leão, acuado por hienas simbolizadas pelo Congresso Nacional, imprensa, STF, Lula, PT e outros. Um vídeo sem propósitos e com finalidade provocativa.

Houve reações de políticos e de agentes do judiciário. Em entrevista, o presidente admitiu ter sido uma “injustiça” a publicação de um tosco vídeo em sua conta no Twitter em que ele é associado a um leão solitário sob ataque de uma alcateia de hienas, estas representando o Supremo Tribunal Federal (STF), os partidos políticos, a imprensa, a Organização das Nações Unidas (ONU), em suma, instituições que são caras a países democráticos.

Para o presidente Jair Bolsonaro, no entanto, essas instituições são os obstáculos que o impedem de guiar o País a bom porto. “Me desculpo publicamente ao STF, a quem porventura ficou ofendido. Foi uma injustiça. Erramos e haverá retratação”, disse o presidente ao Estadão.

Este ataque, repito, desproposital para um chefe de nação, só serve para alimentar o ódio dos inimigos que jogam mais gasolina no fogo, entre eles, o encarcerado Lula e seus seguidores.

Se o presidente não entrasse em provocações e se limitasse a apenas divulgar as ações de governo que vem melhorando a cada dia, seria melhor mas, como ele não é de levar desaforo para casa e tem um temperamento agressivo, vamos continuar a conviver com suas intempéries.

Ele sabe que existe o bateu, levou e que serve para os dois lados. Mas, enfim, cá para nós, ninguém tolera uma agressão sem revidar. Só resta saber até quando ele terá essa força de reação, ou bala na agulha.

 

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal