Bolsonaro pede desculpas ao povo judeu

Pedro Ribeiro


 

Uma das virtudes do presidente Jair Bolsonaro é reconhecer seu erro e voltar atrás. Depois de quase literalmente arrumar uma guerra comercial com o mundo árabe, um dos maiores compradores de carnes de aves do Brasil e pediu desculpas, agora enviou uma carta à embaixada israelense no Brasil para tentar explicar a declaração de que o Holocausto pode ser perdoado.

No texto, o presidente afirma que “o perdão é algo pessoal, nunca num contexto histórico como no caso do Holocausto” e que “qualquer outra interpretação só interessa a quem quer me afastar dos amigos judeus”.

Ao povo de Israel: deixei escrito no livro de visitantes do Memorial do Holocausto em Jerusalém: ‘AQUELE QUE ESQUECE SEU PASSADO ESTÁ CONDENADO A NÃO TER FUTURO’.

Portanto, qualquer outra interpretação só interessa a quem quer me afastar dos amigos judeus. Já o perdão, é algo pessoal, nunca num contexto histórico como no caso do Holocausto, onde milhões de inocentes foram mortos num cruel genocídio.” (Antagonista).

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.