Brasileiro compra leite do exterior da sua própria vaca

Pedro Ribeiro


 

Pedro Valls Feu Rosa, desembargador do Tribunal de Justiça do Espírito Santo, nos brinda com um artigo publicado no site Diários do Poder em que faz um alerta sobre o futuro da nação nas mãos de bandoleiros e do capital estrangeiro. Lembra que nos últimos anos 60% das empresas brasileiras negociadas foram parar nas mãos de estrangeiros. “Foi assim que chegamos ao insólito país cujos habitantes compram o leite de suas próprias vacas, a água mineral de suas próprias nascentes e a maioria dos produtos de sua própria terra de empresas estrangeiras aqui instaladas”.

Em sua análise, diz e “temos sido imprudentes com o uso de nossas riquezas: no ritmo atual de extrativismo, que só aumenta a cada dia, daqui a 82 anos não teremos mais minério de ferro para exportar. Nosso níquel só durará mais 116 anos, o chumbo 96, o nióbio apenas mais 35 anos, o estanho 80, os diamantes 123 e o ouro míseros 43. Sim, o Brasil da Serra Pelada será importador de ouro daqui a mínimos 43 anos!”

“Parece incrível, mas vergonhosamente empresas estrangeiras já são responsáveis por 70% de nossas exportações de soja, 15% das de laranja, 13% de frango, 6,5% de açúcar e álcool e 30% das de café! Isto já sangra o Brasil em mais de US$ 12 bilhões a cada ano só a título de remessa de lucros”.

Desmonte da Lava Jato

Em matéria especial publicada neste domingo, O Estadão mostra o que o governo federal está fazendo com a Polícia Federal e a Operação Lava Jato. O presidente Michel Temer cortou 44% do orçamento de custeio de 2017 previsto para a PF, que teve de reduzir a equipe destacada para a força-tarefa em Curitiba. De nove delegados federais atuantes até o início do ano, ela passou a ter apenas quatro para cuidar dos cerca de 180 inquéritos em andamento e “há a intenção de se acabar com a atuação exclusiva deles”. “Será o fim da Lava Jato”, disse um membro ao jornal, sob a condição de anonimato.

Comprometidos com o boi

Vem aí a lista dos deputados que receberam dinheiro dos bois para campanha. Tem vários do Paraná.

Cidades inteligentes

Secretário do Desenvolvimento Urbano, Ratinho Júnior, destaca o avanço das cidades inteligentes e chama para o encontro desta segunda-feira, o Smarty City Business 2017 que será realizado em Curitiba e é o maior evento do gênero, que reune gestores, representantes de órgãos do governo, CEOs, delegações estrangeiras e instituições. Oportunidades para gestores públicos debaterem novas tecnologias e reiterar o dever com a qualidade de vida das pessoas. Será também uma oportunidade para consolidar o Paraná como uma verdadeira startup tecnológica e o futuro “Vale do Silício da América do Sul”.

Gerando empregos

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados, divulgados pelo Ipardes mostram que entre as cidades que mais geraram empregos formais no Brasil, estão 10 paranaenses: Maringá, Cascavel, São José dos Pinhais, Pato Branco, Curitiba, Capanema, Palotina, Rio Negro, Medianeira e Telêmaco Borba.

 pedro.ribeiro

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="487891" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]