Carne de Curitiba é boa para consumo, revela análises do governo

Pedro Ribeiro


Os curitibanos não precisam se preocupar com a qualidade da carne que consomem. Análises feitas pelo Laboratório Central do Estado do Paraná (Lacen-PR) nas amostras de carnes e embutidos coletados na última semana em Curitiba mostram  resultados deram negativos para os 10 alimentos analisados. O  secretário estadual da Saúde, Michele Caputo Neto determinou, tão logo houve a deflagração da Operação Carne Fraca, que as vigilâncias sanitárias reforçassem as fiscalizações e o resultado foi positivo.

A coleta do primeiro lote de amostras foi feita entre segunda e terça-feira (20 e 21) pela vigilância sanitária do município de Curitiba. “Além dessas ações em parceria com o Governo do Estado, a Vigilância Sanitária de Curitiba está sempre atenta com inspeções de rotina feitas diariamente em todos os estabelecimentos que comercializam produtos alimentícios, tanto carnes ou não”, afirma o secretário municipal da Saúde de Curitiba, João Carlos Baracho.

Foram amostras de carnes resfriadas (Friboi/JBS), carne bovina salgada curada (Novilho Nobre), linguiça tipo calabresa (Sadia/BRF), linguiça mista (BRF), mortadela de frango (Seara/JBS), presunto (Sadia/BRF), salame (Perdigão/BRF) e salsicha (Italli/Peccin e Seara/JBS), todos de empresas investigadas pela Operação Carne Fraca da Polícia Federal.

“Como são produtos de comercialização nacional, o que está no comércio da capital, também está sendo vendido no interior. A escolha de Curitiba para a coleta de amostras serviu para facilitar a logística e acelerar o processo de verificação”, explica o coordenador da Vigilância Sanitária estadual, Paulo Costa Santana.pedro.ribeiro

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="487801" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]