Cinco dias para abrir uma igreja e quatro meses para abrir uma empresa

Pedro Ribeiro


 

Esse é o tipo de conselho que não se dá se você se considera empreendedor mas está em dúvida do que fazer. Principalmente em tempos do politicamente correto. E também porque pode soar como deboche diante da sagrada fé das pessoas, o que está muito distante do pretendido por este escriba, e a quem manifesto todo meu respeito. Mas o conselho faz sentido se você está informado da realidade brasileira, e de algumas facilidades. Se você acha que tem alguma vocação empresarial e, mais que isso, um certo temperamento e interpretação da vida que lhe permita agir de forma flexivelmente arrojada e acima de tudo, com alguma desenvoltura para oratória e conhecimento religioso, não perca tempo : abra logo uma Igreja.
É baratinho e você não vai pagar nenhum centavo de Imposto de renda, estará isento de todos os demais impostos, seu empreendimento tem imunidade tributária garantida pela Constituição Federal, ela assegura que a liberdade de culto é inviolável. E, queira Deus, que assim continue, como permaneça a garantia de outras demais liberdades estabelecidas pela Constituição e dentro de um pleno regime democrático.
No Brasil de hoje, uma nova Igreja, principalmente de denominações neo-pentecostais é aberta a cada duas horas, segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Planejamento Tributário (IBPT) que monitora a abertura de novas empresas em todo o País. São 12 novas igrejas abertas todos os dias com 25 pedidos de registros feitos também diariamente á Receita Federal, segundo ela mesmo informa. Desses pedidos, 20 se referem a novas denominações, as outras restantes são de filiais das já existentes espalhadas pelo território nacional ou mesmo nos âmbitos dos estados ou dos municípios.
Ah, mas é muita burocracia para abrir uma Igreja bocejaria você com sua flexibilidade e já prevendo muito trabalho e custos pela frente para se aventurar como um líder religioso. Nada disso! É muito fácil. Para abrir sua própria Igreja você não demora mais que uma semana, isso mesmo, e pode dar a ela o nome que quiser. Como Associação Ministerial dos Homens Corajosos ou Igreja Missionária As Portas Do Inferno Não Se abrirão, duas das que já existem.
Você só precisa ir a um cartório, levar a ata de fundação, estatuto social, composição da diretoria e, depois encaminhar a papelada para a Receita federal lhe conceder o número de Inscrição do Cadastro nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ). Depois é só solicitar o álvará de funcionamento para a prefeitura ou ao governo estadual para que sua igreja funcione com plena imunidade tributária. Além de Isento de Imposto de Renda sobre as doações de quantos fiéis sua Igreja tiver, você estará isento de IPTU, ISS, IPVA sobre veículos, poderá alugar espaços em rádios ou TVs e oferecer produtos sagrados ou benzidos de toda natureza para seu empreendimento ter lá seu capital de giro e investimento.
Se tiver alguma dúvida sobre como criar a sua Igreja, você pode consultar a internet, tem uma profusão de sites especializados prontos para lhe orientar. Os custos com cartório e toda a papelada, não passa de dos 200 ou 300 reais, no máximo, mas se você pedir orientação, aumenta um pouco por causa dos honorários, normalmente de contabilistas especializados.
Agora, se você se considera um homem com muita coragem e valente mas não vocacionado para trabalhar com a fé das pessoas e com o tempo conquistar a divina graça de operar milagres, mas deseja ter seu empreendimento, então monte sua empresa. Mas, esteja preparado, o caminho de Compostela é outro, árduo como calvário, você precisa ter paciência e estar preparado com os custos maiores de abertura.
Você só vai conseguir ter sua empresa definitivamente aberta e regularizada depois de quatro meses, mais exatamente em um período médio de 117 dias, segundo algumas fontes, ou de pouco mais de 100 dias, de acordo com estimativa do Banco Mundial. Esteja também preparado porque o estado laico brasileiro estará preparado para inverter a lógica de doações de fiéis a que só se permite para as Igrejas e não vai perdoar. Aqui, amigo, milagre não acontece. Além do Imposto de Renda, você vai pagar todos os demais tributos que já inventaram, e ainda rezar para que um dia um fiscal mal-humorado não lhe faça uma visita.
A receita não faz milagres!

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal