Covid, Sarampo e Dengue, doenças que abalam o Paraná

Pedro Ribeiro

ratinho-junior-medidas-

Alguma coisa de errado está acontecendo com a política de saúde pública do Paraná. O Estado passa de 1.500 mortes pela Covid-19, números absolutamente desproporcionais, contabilizou 200 mil casos de dengue e agora, quando estava a poucos dias de declarar o fim do surto do sarampo, aparece mais um caso (em Piraquara) e volta tudo à estaca zero.

Não adianta o secretário de Saúde, Beto Preto, posar de bonzinho todos os dias na telinha da RPC para, apenas, infelizmente, dizer que o quadro é grave, que precisamos tomar cuidado. Muito menos o governador Ratinho Junior anunciar R$ 100 milhões para vacina da Covida-19 quando ela for produzida e apresentar resultados.

Muito menos ainda o Estado receber suposta ajuda do Exército para entregar medicamentos, como se o Paraná não tivesse uma logística adequada para isso. Se precisar do Exército agora é porque, então, efetivamente, falhou também na logística.

Por mais que o governo, tendo o governador Ratinho Junior à frente e Beto Preto, o Paraná vem sofrendo com a pandemia e poderá ser, lamentavelmente, um os últimos estados a sanear o problema da doença.

Com 2.066 novos diagnósticos de pacientes com coronavírus, agora o Estado acumula 61.335 casos confirmados desde março.

Essa é a sétima vez que o Paraná supera o registro 2 mil casos novos em um período de 24 horas, mas pela primeira vez a marca foi ultrapassada em dois dias consecutivos.

De acordo com a Sesa, 1.071 pacientes diagnosticados com Covid-19 estão internados em hospitais públicos e privados. Destes, 473 ocupam leitos de UTI, enquanto 598 realizam o tratamento em leitos de enfermaria.
Além disso, o Paraná tem outros 1.111 pacientes internados com quadros respiratórios, mas que ainda aguardam o resultado do exame para coronavírus. Por isso, são considerados casos suspeitos.

A taxa de ocupação geral dos leitos de UTI exclusivos para Covid-19 no SUS se manteve em 76%. A situação mais preocupante é na região leste, onde 87% das vagas de alta complexidade.
O boletim atualizado nesta quinta-feira (23) pela Sesa (Secretaria de Estado da Saúde) incluiu 59 mortes aos registros oficiais da doença no Paraná.

Conforme a secretaria estadual, eram 31 mulheres e 28 homens com idades que variam entre 31 e 98 anos. As mortes confirmadas hoje aconteceram no período entre 5 e 23 de julho.

Os pacientes moravam em Curitiba (19), Arapongas (5), Colombo (4), Londrina (3), União da Vitória (3), Goioerê (2), Tibagi (2), Alto Piquiri, Balsa Nova, Bocaiúva do Sul, Campina Grande do Sul, Campo Largo, Cascavel, Colorado, Fazenda Rio Grande, Itambaracá, Marilena, Maringá, Paranavaí, Pinhais, Piraquara, Ponta Grossa, Rio Negro, Salto do Lontra, Santo Antônio da Platina, São José dos Pinhais, Toledo e Xambrê.

De acordo com a Sesa, 388 das 399 cidades do Paraná já têm casos de Covid-19. Mortes relacionadas ao coronavírus foram confirmadas em 201 municípios diferentes. (Colaborou Angelo Sfair)

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal