Sintonia Fina
Compartilhar

  Cresce incidência de doenças do coração em mulheres

 Recebi nota da Assessoria de Imprensa NQM onde mostra que a incidência de doenças cardiovasculares em mulhe..

Pedro Ribeiro - 28 de setembro de 2016, 13:09

 

ANÚNCIO

Recebi nota da Assessoria de Imprensa NQM onde mostra que a incidência de doenças cardiovasculares em mulheres tem aumentado e chega a preocupar médicos e pacientes. Segundo levantamento do Ministério da Saúde, anualmente 500 mil pessoas sofrem infartos no Brasil, sendo que, somadas com diabetes e cânceres, são responsáveis por até 74%, desse número. Grande parte dessas doenças podem ser evitadas com hábitos saudáveis, diz o cardiologista da Unimed Curitiba, Flavio Studart, que alerta para a importância dos cuidados com a saúde.

É a velha história do sedentarismo, consumo excessivo de álcool e cigarros e estresse na rotina diária, aliado a uma má alimentação. Para evitar ao máximo os riscos, pelo menos na parte alimentar e de sedentarismo, a recomendação é fazer exercícios aeróbicos, caminhadas ou corridas de 20 a 40 minutos, de três a cinco vezes por semana. Se possível, andar de bicicleta e fazer natação também são bons caminhos”, lista Studart.

Segundo ele, a incidência em mulheres tem aumentado ano a ano. “Ninguém está livre da possibilidade de sofrer um infarto, mas esses grupos são os mais comuns. Antes, os homens enfartavam mais, mas com o estresse do mercado de trabalho, as mulheres têm seguido o mesmo cenário. A diferença é que elas procuram mais os tratamentos cardiológicos preventivos do que os homens”, relata o cardiologista Flávio Studart, da Unimed Curitiba.

ANÚNCIO

O cardiologista explica que também é importante investigar o histórico de doenças familiares do paciente. “É mais fácil prever quando há parentes em primeiro grau que já sofreram algum problema cardiovascular, mas muitas vezes isso ainda não se manifestou na família e o fator genético existe”, comenta Studart.

Os fatores de risco para as doenças cardiovasculares acabam sendo os mesmos que afetam os sistemas neurológicos, e até mesmo aumentam o risco de desenvolvimento de cânceres.

Para incentivar os cuidados com a saúde e a prevenção de doenças, especialmente as relacionadas à prática de atividades físicas e educativas, a Unimed Curitiba promove o Programa Vida Saudável entre seus beneficiários com 60 anos de idade ou mais.

Entre as ações oferecidas estão a prática semanal de ginástica, avaliação de risco de queda na residência e orientações de cuidado com a saúde por meio de telefonemas, oficinas, grupos operativos e até visitas, quando necessário.

 pedro.ribeiro