Deixem o homem em paz

Pedro Ribeiro

 

Deixem o Lula em paz. Não prejudiquem ainda mais o ex-presidente. Lula está em uma cela especial, com direito a chuveiro elétrico, televisão, leitura, banho de sol e visita frequentes de seus advogados. Hoje, vejo nas redes sociais e na própria imprensa, nota do PT com programação para o acampamento em frente a Polícia Federal, com direito a palestras, discursos, orações e muito barulho.

Será que essas pessoas que estão acampadas e principalmente as lideranças petistas não veem que podem estar prejudicando seu ídolo: chegará o momento em que o juiz federal, Sergio Moro, pedirá a transferência do preso de ficha número 700004553820 para o presídio de Piraquara, onde estão os demais presos pela operação Lava Jato.

Nesta segunda-feira nove governadores do Nordeste deixaram seus estados para irem a Curitiba, na tentativa de dar um abraço em Lula. Ou seja, abandonaram os afazeres e torraram dinheiro público, inclusive no aluguel de jatinhos, para viverem um dos momentos mais desmoralizantes desde a prisão do ex-presidente Lula por corrupção, como bem colocou o jornalista Cláudio Humberto.


Os nove foram barrados por um despacho do juiz Sérgio Moro, assinado na véspera, proibindo demagogia rastaquera na carceragem da Polícia Federal, onde meliante comum cumpre pena.

Além dos nove governadores, lamentavelmente estavam encabeçando a lista do beija-mão, dois senadores paranaenses: Roberto Requião e Gleisi Hoffmann, que deveriam estar no Senado federal trabalhando para o fortalecimento da Nação mergulhada em crise.

Como bem relatou Humberto, o objetivo da visita não era político, destinado a Lula. Era a chance de fazer média com eleitor ignorante que ainda votaria no meliante. Ansiosos pelo gesto demagógico, os governadores nem sequer se deram ao trabalho de checar na PF se a visita seria autorizada.

Governadores pagaram um mico inesquecível: até tiveram acesso à sede da PF em Curitiba, mas foram barrados. Barradas, suas excelências não reclamaram, não são loucos. Mas posaram para foto exibindo o despacho de Sérgio Moro. Foi engraçado, pontuou o jornalista.

Post anteriorPróximo post
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.