Deputados estaduais (os desonestos) com revólveres nas mãos e imunes de prisão. Deus nos acuda

Pedro Ribeiro


A extensão da imunidade parlamentar a deputados estaduais é uma afronta à sociedade. Se hoje, alguns parlamentares que praticam atos ilícitos, como vemos nos noticiários e, no caso paranaense, a Operação Quadro Negro, não vão para a cadeia e raramente são ouvidos em depoimentos ao Ministério Público ou à Justiça, imaginem se não puderem ser presos, em nome da lei.

O plenário do Supremo Tribunal Federal decidiu por maioria (6 votos a 5) estender a possibilidade de imunidade de prisão a deputados estaduais. Segundo a decisão, as assembleias estaduais podem reverter ordem de prisão dada pelo Judiciário contra parlamentares estaduais. Com isso, deputados estaduais seguirão a mesma regra prevista na Constituição para deputados federais e senadores: só poderão ser presos em flagrante e em casos de crimes inafiançáveis (como estupro e tortura).

Um parlamentar, representante do povo (eleitores) no Congresso Nacional ou nas assembleias legislativas, deveria ser um cidadão ilibado que de exemplos de honestidade, principalmente em relação ao dinheiro público. É claro que não podemos generalizar, porque existem bons e maus deputados e o mínimo que o SFT e STE deveriam fazer é exigir ficha limpa de candidatos a esses cargos. Ou seja, não permitir que ladrões assumam tão importantes cargos que podem decidir os destinos da nação.

 

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="619336" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]