Estado da delinquência

Pedro Ribeiro

moro sobrinha paraná

Alceo Rizzi

Ex-ministro Sérgio Moro não perdeu, sai do governo como vencedor em dignidade, ainda que ela possa ter sido questionada ao longo desse tempo ao suportar no cargo os desaforos de um presidente psicótico. Vence ao não se submeter a tentativas e caprichos criminosos de quebra de funcionalidade institucional da PF, um órgão de Estado que a partir e agora pode passar a ser apenas de governo, para proteção de todo o tipo de delinquência que a família de nulidade possa cometer. E para acobertar os que podem ter sido cometidos em tempos já não tão suspeitos de convivência com gangues de milicianos do Rio de Janeiro. Sai pela recusa em se submeter servilmente à indignidade e à renúncia de sua biografia como magistrado para proteger bandidos alucinados que tragicamente tomaram o país de assalto pela repulsa ao que havia, sem que se medisse antes as consequências. E agora, apavorado pela sanha devastadora de uma pandemia que também é tratada com pouco caso por uma presidência com síndrome psicótica, o País se vê envolvido em mais uma das tantas crises que não haveriam e que tornam urgente a necessidade de interdição ou impeachment do presidente. Ou o País vai continuar à deriva, território livre para delinquência que.passa ser instituída como política de Estado. Comandado por parvos, insanos e criminosos.

Alceo Rizzi é jornalista e escritor

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="695211" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]