Estrada do Cerne está abandonada e usuários pedem socorro

Pedro Ribeiro


Por Aroldo Murá

 

Abandonada, a estrada do Cerne, no trecho Bateias – Abapan, está praticamente intransitável e representando perigo aos usuários, principalmente a motoristas de caminhões que precisam trafegar pelo trecho e estão à mercê dos buracos e da bandidagem.

Vejam na coluna Aroldo Murá

Dois empresários, Silvio Bertolini e Milton Generosso, lideram movimento de inconformados com o fato de “apenas” 56 quilômetros da PR 090 estar sem asfalto,  quase intransitável, uma verdadeira  armadilha para caminhões e automóveis, e espaço para o crime, como tráfico de drogas. A luta é pelo asfalto do trecho Bateias – Abapan, em Castro. Só um político, a deputada Aline, se interessa por esse trabalho de formigas, segundo informam os líderes.

 

No geral, boa parte dos  paranaenses de hoje tem apenas  uma vaga ideia do que seja a Estrada do Cerne, a PR 090, concebida e  executada sob as ordens de Manoel Ribas para consumar uma propostas essencial nos dias de sua construção – 1935 a 45:   a ligação de Curitiba com o Norte do Paraná e  o interior de São Paulo. Seriam 446 quilômetros de asfalto, rumando da Capital e passando por cidades como Campo Largo, Telêmaco Borba, Ventania, Castro, Piraí, Bela Vista do Paraíso, dentre outras.

A cidade de Alvorada do Sul é o  seu ponto final dentro do Paraná, a 3 quilômetros da divisa de SP e Mato Grosso do Sul, e nas  barrancas do Rio Paranapanema.

 

Com a PR  090, o café (de  parte de SP) e do Norte do PR começaria a ser escoado  em direção a Paranaguá. Assim aconteceu. Os dias áureos da Estrada do Cerne terminaram ,  no entanto, com a construção da Rodovia do Café, obra ciclópica executada pelo fantástico Saul Raiz (personagem de meu livro Vozes do Paraná), no  primeiro governo Ney Braga.

 

Com a “novidade” da nova rodovia,  a Estrada  do Cerne foi sendo esvaziada, mas nunca deixou de ser importante para a ligação, continuando a atender, por exemplo, áreas industriais de enorme importância, como, a da  Klabin, em Telêmaco Borba. Além de encurtar quilometragem no caminho Curitiba-Norte do Paraná. A Estrada faz intersecções com PRs e BRs ao longo de seu percurso.

Há muitos detalhes dessa história de resistência da Estrada do Cerne, como o fato de – inexplicavelmente – dos seus 446 quilômetros de extensão, só  390 Km  terem sido asfaltados.  Sem explicação,  os  56 quilômetros  restantes, de Bateias (Campo Largo) e Abapan, em Castro, continuaram chão batido.  E um perigo para motoristas, risco de vida, com inúmeros desastres já registrados por conta do desleixo votado à estrada.

Trata-se de  trecho que se inicia em plena Região Metropolitana de Curitiba , o qual  “entrou no limbo do esquecimento  decretado pelos  governos do Paraná, de que são provas os buracos, as enormes pedras no caminho, os bueiros soterrados, a precariedade total  do trecho, o que fez a região parar no tempo”, diz Silvio, como quem vive  expressa  um  “dies irae”.

TRÁFICO DE DROGAS

A declaração indignada  é  de  Silvio Bertolini, empresário de Bateias que, com Milton Generosso, capítanea o  “Movimento PR 090- Bateias Abapan”.

 

Como não acreditam em maldição muito menos que os problema serão  resolvidos “por graça real” – como crava Bertolini -, eles vão em frente. “A pandemia diminuiu um pouco nossas reuniões,  não o ardor e dos de  milhares de cidadãos que assinam nosso protesto registrado em cartório.

A seguir, a entrevista  que a \Coluna fez com Bertolini, a pedido de um amigo comum, Juliano França Tetto, advogado:

 

MOVIMENTO PR – 090 – BATEIAS ABAPAN

 

P – Como se chama e como nasceu o movimento pró estrada?

O Movimento Pr 090- Bateias Abapan nasceu de uma antiga reivindicação da população da região, pelas precárias condições de tráfego na Estrada do Cerne , no trajeto de Bateias (Camp epois de muitos anos de lutas individuais, nos reunimos, criamos um Abaixo assinado com 3.730 assinaturas e mais de 700 on-line, pelo nosso Facebook., tudo registrado em cartório de títulos e documentos. Ata de fundação do movimento.

Foi criada uma comissão com 10 membros, com moradores da região e empresários proprietários da região, no qual sou coordenador.

P – quem participa dele?

Moradores da região, usuários do trecho da estrada, e todos indignados com o descaso dos órgãos competentes  DER, prefeituras envolvidas.

P – de que cidades são essas lideranças?

A comissão é formada, por pessoas de Curitiba, Campo Largo e Telêmaco Borba.

o Largo) até Abapan(Castro).

P – Quais os objetivos do movimento?

Colocar esta rodovia nos planos de asfaltamento, do Governo do Estado. Pois está apenas 35 km de Curitiba. Uma área abandonada de infra-estrutura, Estrada ruim, atendimento médico precário, escolas precárias, energia elétrica de baixa tensão, impedindo qualquer empresário à instalar grandes e boas industrias, para gerar empregos na região.

P – O movimento nasceu a partir de quais constatações?

Muitas reivindicações individuais e isoladas. Criamos o Movimento Pr 090- Bateias  Abapan, para dar corpo , visualidade e firmeza em nossos pedidos .

AS LIGAÇÕES DA ESTRADA

 

P – Situação atual da Estrada do Cerne: liga que a cidade a quais; pontos que carecem de melhorias.

Situação de sofrível manutenção, com 61 pontos de buracos Eternos, 72 Bueiros Fantasmas (construídos em 1945) e 19 pontos de pedras Fura carter (pedras salientes na rodovia).

A histórica Estrada do Cerne (Pr 090) liga Curitiba até as barrancas do Rio Paranapanema, na cidade de Alvorada do Sul, divisa com São Paulo e Mato Grosso do Sul. Porém a nossa solicitação e trabalho, são para 56Km  não asfaltados , aqui na região metropolitana de Curitiba.

Os 390km restantes são com asfalto. Esta estrada liga Curitiba ao Norte Velho, passando por Campo Largo,Castro, Pirai do Sul,Ventania, Ibaiti, São Gerônimo da Serra, Assai, Ibiporã, Bela Vista do Paraiso até barrancas do Rio Paranapanema em Alvorada do Sul.

P – como os governos reagem ao movimento em favor da estrada (União e PR)? 

Por ser uma estrada estadual, os prefeitos pouco tem à fazer, além de fracos e pobres pedidos de manutenção. O estado através do DER está sucateado .Não tem equipamentos, mão de obra já envelhecida, quase todos se aposentando .E pouca verba para manutenção (da nossa Estrada). O governo Federal, está seriamente envolvido na renovação de contrato com as rodovias pedagiadas, que não nos contemplou em colocar nosso pequeno  trecho de 56km em licitação.

No Paraná, serão feitas novas concessões em 1.700km de rodovias. Faltou vontade política e empenho de nosso Governador, de nossos Deputados estaduais e federais, para inclusão no projeto federal.

Daí a criação do Movimento Pr 090-Bateias Abapan, criado em outubro de 2019, registrado a Ata de criação e o Abaixo assinado com 3730 assinatura, sob o Nº 39.968 , fl 201 até fl 446, Livro B-196 Certidão Registro Integral, no ofício de títulos e documentos da comarca de Campo Largo em 02/12/2019.

Para dar força e visibilidade ao nosso ferrenho empenho na melhoria da nossa região aqui no quintal de Curitiba.

NA PAUTA DO GOVERNO 

 

P –  próximos passos que vocês projetam?  

Fazer um empenho concentrado, para colocarmos os nossos objetivos em pauta no Governo Estadual. Ser colocado em projeto do próximo ano, no orçamento do estado.

Pretendemos trabalhar com apoio da imprensa local, estadual e até mesmo federal, para divulgação de nossos objetivos.

Buscar apoio de políticos influentes nos municípios, através dos prefeitos. Com Deputados Estaduais e Federais que tenha influência no governo do estado.

Decidimos que este ano de 2021, faremos empenho especial para atingirmos os nossos objetivos.

INFORMAÇÕES POR TÓPICOS

A Coluna registra, por tópicos, manifestações finais de Bertolini ´e Generosso :

Esta comissão, pagou  de seu próprio bolso os gastos até agora despendido no seguinte:

22 faixas de apelos aos órgãos competentes, esticadas ao longo do trecho abandonado.

28 Banner indicando – Aqui Tem Buraco Eterno – Bueiro Fantasma e Pedra Fura Carter.

1,500 – Adesivos veiculares de “Apoio esta Idéia “ Asfaltamento Já.

Mais de 1000 placas de Apoio o Movimento Pr-090, colocado em postes, frente das casas e dos comércios ao longo do trecho Bateias Abapan e redondeza.

Despesas de Registro no Cartório de Títulos e Documentos.

 

Aroldo Murá é jornalista e professor

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="743419" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]