Estratégia do governo paranaense é pedir privatização do Porto de Paranaguá

Redação


 

Depois de propor a venda de ações de estatais como Sanepar e Copel sem prévia autorização da Assembleia Legislativa, o governo do Estado prepara uma nova estratégia para arrecadar dinheiro aos cofres públicos: privatizar o Porto de Paranaguá. A articulação estaria sendo feita pelo próprio governador Beto Richa (PSDB), junto com as lideranças nacionais do partido, no sentido de que o Paraná adiante o prazo de concessão junto ao governo federal e se livre, efetivamente do porto, privatizando-o. A proposta seria levada pelo PSDB ao presidente interino Michel Temer (PMDB).

Pelo que se observa, o governo do Estado está sem caixa até mesmo para pagar a folha no final do ano. Tal desespero levou o governador a lançar um novo pacote de medidas de ajuste fiscal, com 153 artigos e 15 temas. Bateu na trave. O próprio líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Luiz Claúdio Romanelli entendeu que é necessário mais tempo para que todos parlamentares possam aprofundar o bolodório.

O que mais pesou foi o que dispensa a autorização legislativa para alienação de imóveis das empresas públicas e sociedades de economia mista não dependentes. Fica mantida a exigência para administração direta, entidades autárquicas e fundacionais e empresas públicas dependentes.

Autoriza a Cohapar a alienar os bens imóveis do Estado que já possuam autorização legislativa e autoriza que se possa integralizar o capital da Cohapar com imóveis de que trata a Lei nº 18.663/15. Autoriza a alienação de ações de empresas públicas e sociedades de economia mista, desde que assegurada a manutenção do controle acionário pelo Estado do Paraná. Foi uma chiadeira geral, o que já era esperado pelo governo. (Veja mais detalhes em Política).

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="487325" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]