"Eu falo e faço, tenho uma missão e não ambição e meu discurso será praticado"

Pedro Ribeiro


Em entrevista ao programa Canal Livre, da TV Bandeirantes, o senador paranaense e candidato à Presidência da República pelo Podemos, Alvaro Dias, disse que “o Estado Brasileiro e a República Brasileira precisam ser refundados para expurgar este sistema de governo promíscuo que montou uma fábrica de escândalos, um baldão de negócios, um toma lá, dá cá”. Em resposta à pergunta da jornalista Mônica Bergamo, que questionou o senador, lembrando que ele está há mais de 20 anos convivendo com  isso e que só agora fala em mudanças radicais, Dias lembrou que ele foi a favor de um impeachment completo, o que significava a saída de Dilma Rousseff e do seu então vice, Michel Temer. “Por isso fui afastado do PSDB”, afirmou.

Alvaro Dias garantiu que é possível mudar o País, moralizando o Congresso Nacional que, na sua maioria é cooptado pelos governos que entram em troca de benesses e de empresas que patrocinam a corrupção, através de propina. ” É preciso ter seriedade para mudar e os que assumiram até agora não tiveram coragem e nem vontade de mudar”, observou. Para ele,  é preciso um agente de mudança, um modelo novo de governo que consiga acabar com sistema corroído. Quando fui governador do Estado do Paraná, não houve nomeações e ninguém recebeu verbas para votar”.

Sobre a polêmica envolvendo o Ministério do Trabalho que terá que revogar portaria sobre trabalho fiscalização do trabalho escravo no Brasil, o senador foi contundente, afirmando que toda e qualquer ação que envolva o campo, deve ser discutida antes com as lideranças agrícolas, porque envolve produção, produtividade e crescimento do país. Portanto, não houve uma discussão sobre o assunto e o governo teve que retroceder. Dias defende demarcações de terras para os povos indigenas, punição a quem promove todo e qualquer tipo de trabalho escravo e a legislação brasileira.

O senador paranaense fez duras críticas aos parcos investimentos nacionais em áreas sociais, observando que, no País, existem mais de 30 milhões de brasileiros que vivem abaixo da linha da pobreza (miséria), que ganham menos de R$ 50 por mês e 68% da população recebem menos de um salário mínimo. Segundo ele, 22% da juventude não frequentam escolas e não estão trabalhando e mais de 30% dos brasileiros não possuem água tratada, faltam banheiros, chuveiros e moradias.

Segundo o senador, o brasileiro não quer saber sobre esquerda, direita ou centro, pois isso virou uma esquizofrenia, uma bagunça. O eleitor quer saber da soluções de seus problemas, de um administrador ficha limpa, com  experiência administrativa e com coragem de promover mudanças, de promover uma reforma social e de distribuição igualitária de rendas. “Eu falo e faço e meu discurso será praticado”.

Para o candidato à Presidência da República, “a Operação Lava Jato mudou o perfil do eleitorado e o Brasil sonha com um futuro melhor. Eu quero cumprir uma missão e não uma ambição de querer o poder simplesmente pelo poder”, sustentou Alvaro Dias.pedro.ribeiro

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal