Falta de qualificação para o mercado de trabalho em Maringá

Pedro Ribeiro

 

A Agência do Trabalhador de Maringá está preocupada. Existem empregos na cidade, mas falta qualificação profissional. Este ano foram encaminhados mais de 7 mil pessoas para 1.856 vagas de emprego. Dessas, apenas 763 foram preenchidas. A falta de escolaridade e de mão de obra qualificada dos trabalhadores é o principal fator para o crescimento de desemprego na cidade.

A diretora da Agência do Trabalhador, Clarice Sobczack Chimirri, explica que a maioria dos trabalhadores tem apenas o ensino fundamental e ausência de experiência na função. “Cada vez mais as empresas procuram trabalhadores cujo o perfil seja de 100% de enquadramento na vaga”, disse.

Segundo a diretoria, outro motivo para o não preenchimento de vagas abertas, é a falta de retorno das empresas em relação aos processos seletivos realizadosm, o que acaba dificultando o resultado de número de contratações dos trabalhadores.


Já a contratação da pessoa com deficiência tem crescido a cada ano na Agência do Trabalhador. Neste ano já foram empregados 104 trabalhadores com deficiência, enquanto que no ano passado foram 281. O atendimento às pessoas com deficiência é feito com orientações específicas, análise do perfil da vaga e adequação de postos de trabalho, além de reuniões e palestras de conscientização junto às empresas.

 

 

Post anteriorPróximo post
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.
Comentários de Facebook