Falta vacina e sobram trapalhadas no governo

Pedro Ribeiro


Alceo Rizzi

A incompetência atrapalhada e desonrosa do Ministério da Saúde com relação às vacinas que não consegue comprar, chega a tal ordem que ele agora apela publicamente por socorro ao gabinete da Presidência da República, de onde menos pode-se esperar uma solução.

E ousa estabelecer, em ofício a Casa Civil endereçado ao cordato e sensato presidente, que se pronuncie logo no inicio da semana sobre a compra de vacinas da Janssen e da Pfizer.

Ofício, assinado pelo coronel e secretário executivo, diz que a negociação com ambos os laboratórios, que teriam acontecido ainda ano passado, estão emperradas porque o Ministério não concordou com o preço, esperava contraproposta dos laboratórios, e elas nunca vieram.

Parece piada. Devem ter achado que os laboratórios que produzem vacinas estão disputando clientes à tapa. Chega a ser risível, não fosse trágico. Agora alega que precisa de respaldo do governo para tentar destravar negociação que nem chegou a haver.

O que esse bando de néscios sabujos fardados faz no Ministério, se não tem autonomia para tratar de uma das maiores tragédias sanitárias do País? Não há um dia em que ele não produza notícias de vergonhosa indignidade diante de um país já desesperado, já sem vacinas, sem perspectiva e sem comando, apenas com brasileiros que engordam as estatísticas dos óbitos da pandemia.

Nem se trata de ser a favor ou contra o governo. Não é possível que o País permaneça anestesiado, leniente e entregue à morte diante da iniquidade e inocuidade dessa gente.

 

Alceo Rizzi, jornalista

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="746729" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]