Greca condena discurso político que empurra para a morte

Pedro Ribeiro

curitiba coronavírus greca atividades

Em apelo dramático, onde credita a “inimigos políticos que empurram para a morte em período eleitoral”, o prefeito Rafael Greca pediu respeito à vida humana devido à rápida evolução da Covid-19 em Curitiba que está chegando a patamares altamente preocupantes.

Em vídeo, Greca diz que as medidas restritivas tomadas por ele estão sendo adotadas com tristeza para evitar o radicalismo, com fechamento de tudo. A morte já tem nome em Curitiba, observa, afirmando que não é ele o culpado pelo vírus e que é preciso a colaboração de todos nessa hora em que chama de “tempo de saúde”.

“Precisamos respeitar as normas da saúde pública, sem desobediência civil e descumprimentos de regras”, disse o prefeito que condena o discurso político que empurra para a morte. O pronunciamento do prefeito foi feito nesta segunda-feira, após liberar algumas atividades, como bares e restaurantes para funcionamento até às 22 horas.

MEDIDAS RESTRITIVAS

Após permitir o retorno de academias e restaurantes até 22h em Curitiba, o prefeito Rafael Greca justificou, em um vídeo no Facebook, a flexibilização das medidas restritivas adotadas na cidade no último sábado (13).

Em um primeiro momento, Greca disse que é preciso desconfiar de pessoas que empurram para a morte, já que, este é um ano eleitoral. Para o prefeito, há muita gente com ambição tentando fazer discurso político quando se pede o respeito às normas de saúde pública.

“O Brasil não pode conviver com desobediência civil num momento que é preciso disciplina e regras sanitárias. Vou ser contra lavar as mãos? Vou ser contra não aglomerar? Vou colocar minha vida em risco? Vou querer fazer atividades que os médicos renomados dizem para não fazer? Cada vez mais tem mais gente conhecida…a morte está começando a ter nome”, disse Rafael Greca.

Em seguida, o prefeito rebateu algumas críticas que vinha recebendo como, por exemplo, que deixou os shoppings abertos. Greca justificou que aos sábados e domingos ele está fechado e, durante a semana, quando não tem aglomeração, a economia continua girando.

O próximo tópico de críticas foram os supermercados lotados, porém, o prefeito relembrou que estabelecimentos já foram fechado pela vigilância sanitária em Curitiba.

Por fim, sobre a lotação no transporte coletivo de Curitiba, o Greca fez um apelo para que a população espere o próximo ônibus se o primeiro estiver cheio, já que ele “está pagando pelos bancos vazios”.

“Continuando achando e sabendo que a sociedade é um pássaro de duas asas: uma é a saúde e a outra é a economia. Com uma delas quebrada, nós não vamos para lugar nenhum”, finalizou o vídeo. (Com Miriam Villa)

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="704226" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]