Guarda Municipal perde espaço, e URBS pode ficar com trânsito e multas

Pedro Ribeiro


Por Aroldo Murá

 

Com menos poder e sendo comandada por oficial da PMEP, a Guarda terá importância e autoridades diminuídas. Greca poderá ampliar sua fábrica de multas, depois de um aumento de IPTU que foi além da inflação, a despeito da pandemia.

 

Comenta-se nos corredores da Prefeitura, e dona Matilde ouve muito bem, que a Guarda Municipal  de Curitiba não está com aquela força do primeiro mandato. Pelo contrário, estaria perdendo todo o aplomb que, dizem, “a identificou em outros tempos”.

Agora, tem de “engolir” a presença de um Coronel da Polícia Militar no seu comando. Trata-se de um policial reto. Mas isso não esconde o fato gritante: o alcaide Rafael Valdomiro Greca de Macedo preteriu  alguém do quadro. E com essa mudança, estaria para vir outra, tão ou mais impactante: a GMC deve perder as funções de fiscalização e administração do trânsito de Curitiba, voltando a cuidar exclusivamente dos próprios municipais e das praças da Cidade.

Detalhe: com menos poder, a GMC também deixará de ampliar a fúria arrecadatória do atual prefeito. Dizem que, no fundo,  pode até estar havendo uma muito “delicada” ação de empresas do transporte coletivo, prejudicadas – segundo alegam – com a falta de caixa da URBS. Falta  de $ ou questão de administração de eficiência duvidosa?

VOLTA PARA A URBS

Segundo uma antiga servidora da URTBS- Urbanização de Curitiba, existe “esperança e um movimento muito forte” para que  o trânsito volte para aquela empresa.

Os valores recebidos e pagos a título de multa seriam a solução para a recuperação da URBS. Assim a empresa garantiria um implemento nos salários dos empregados e um acréscimo de valores para as empresas do transporte coletivo. Tudo dentro da lei, mas a até que ponto, dentro do ético?

ESTAR NA URBS

Uma demonstração dessa intenção do alcaide foi justamente o retorno do ESTAR para a Urbs.  O argumento é que há muitos anos isto já funcionava assim!

No entanto, em todas as cidades, a tarefa é  atividade de órgãos do trânsito.

Um funcionário de carreira da Prefeitura, observando as possíveis mudanças, disse hoje,27,  a dona Matilde:

– No fundo, essa ideia de destinar  os valores  das multas para aumentar e pagar salários é a legitimação da fábrica de multas de Rafael  Valdomiro Greca de Macedo. Uma  verdadeira imoralidade. Aliás, até “compreensível” estar vindo  depois das eleições. Afinal, Greca é tipo  bem acabado de um senhor da chamada velha política, pleno de empachamento nos seus 65 anos de idade…

A sábia dona Matilde, por seu turno, saiu-se com essa expressão, como que para acomodar sua capacidade de espera, certa de que não há  mal que sempre dure: “A natureza não dá salto…é só aguardar”.

 

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal