Guto Silva, Voz do Paraná, na linha sucessória de Ratinho Junior

Pedro Ribeiro


Jornalista e professor Aroldo Murá vem desenhando cuidadosamente o volume 12 do livro Vozes do Paraná – Retrato de Paranaenses que será lançado ao término da pandemia. Do seu escritório, instalado em sua residência, em meio a centenas de livros e bem decorado com quadros, principalmente de artistas paranaenses, o mestre das letras garimpa diariamente notícias para seu blog e passa grande parte do tempo pesquisando personalidades da vida pública e privada paranaense para o histórico livro, obrigatório nas bibliotecas das escolas paranaenses.

Na próxima edição, um dos personagens que terá seu perfil publicado em Vozes do Paraná, é o jovem deputado estadual e secretário de governo e chefe da Casa Civil, o maringaense Guto Silva, considerado o braço forte e exímio articulador do Governo Ratinho Junior. Para bons avaliadores da política paranaense, ele poderá, a longo prazo, ser aquele em que o governador apostará fichas para sua sucessão. Isso, claro, depois do próximo mandato, no qual Ratinho Junior será candidatíssimo, comenta Murá. Veja alguns trechos da entrevista:

SABEM PARA ONDE IR

“O governo Ratinho Junior é muito prático, rápido ao tomar as decisões. A percepção do governo é a de que tem muita clareza para onde ir, e com que velocidade. Minha função no governo é pacificar, harmonizar a relação com a Assembleia Legislativa, o Ministério Público e o Tribunal de Justiça, para agilizar as decisões do governo.

Os aspectos essenciais da administração se devem ao fato de termos planejado bem o plano de governo durante a campanha, rodado o Paraná e sintonizado os desejos da população com as iniciativas do governo. Ao saber quais seriam as prioridades, pudemos nos organizar de forma rápida. Clareza do que fazer e do que não fazer. Governo enxuto, austero, com uma série de medidas duras inicialmente, mas sintonizado com os paranaenses. Dessa forma, nossa gestão teve condições de ganhar terreno, de forma harmônica.

QUAIS SÃO AS VOCAÇÕES DO GOVERNO?

Eu destacaria a infraestrutura. O Paraná ficou preso, pela concessão e pela falta de investimentos públicos em obras estruturantes, ao Anel Viário. Nosso agronegócio dobra de tamanho e produção a cada dez anos, mas nossa infraestrutura ainda é da década de 1980 e 90. Estamos implantando um novo plano logístico do Estado: ferroviárias, ampliando a Ferroeste; com aeroportos, no novo plano de aviação regional; rodovias, com novas obras e projetos de concessões; e o Porto, que está sendo expandida sua capacidade.

VERTICAL LOGÍSTICA

Toda essa vertical logística é muito importante para a competitividade do Paraná. Acreditamos que se a infraestrutura melhorar, teremos melhores condições daqui para frente, em 20 e 30 anos. Sabemos que hoje o custo Brasil é alto: com os preços dos pedágios e a ineficiência da malha rodoviária, o Estado acaba atrapalhando quem produz. Mais infraestrutura leva a mais competitividade, que gera mais empregos e renda para a população.

AVIAÇÃO REGIONAL

E em todos os modais. Estamos com um plano agressivo de aviação regional, somos o Estado com mais aeroportos em funcionamento e volume de passageiros, mais que São Paulo: desde 2019, passamos a ser o estado com o maior número de voos regionais no Brasil. Mas claro que não podemos descuidar dos investimentos nas rodovias, que são nosso maior gargalo.”

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal