Itaipu e Foz, os portos seguros de Jair Bolsonbaro

Pedro Ribeiro


Jair Bolsonaro tem um porto seguro em sua gestão como presidente da Nação: a Itaipu. Novamente, nesta semana, o presidente parabenizou o trabalho desenvolvido em Foz do Iguaçu e reiterou sua intenção pela abertura da Ponte Internacional da Amizade.
“O que depender da minha vontade, a Ponte da Amizade, na fronteira entre Foz do Iguaçu e Ciudad del Este, será reaberta em breve”, disse em live ao lado do ministro do Tarcísio Freitas, da Infraestrutura.

Os presidentes do Brasil, Jair Messias Bolsonaro, e do Paraguai, Mario Abdo Benítez, definiram nesta sexta-feira, 2, que as fronteiras entre os dois países serão reabertas antes dia 15 de outubro.

O ministro Tarcísio Gomes de Freitas destacou o volume de obras realizado em Foz do Iguaçu. “Segunda Ponte de Foz do Iguaçu está 40% executada, a ampliação do aeroporto está bonita de ver e já contratamos o projeto para um novo corredor Bioceânico. Foz do Iguaçu está de Parabéns”.

Ao finalizar a live Bolsonaro afirmou que estará, em breve, em Foz do Iguaçu para participar de cerimônia de reabertura da Ponte e prestigiar as inúmeros obras que estão sendo executadas no município.

O presidente paraguaio pediu a Bolsonaro que, quando as fronteiras sejam reabertas, haja um encontro dos dois na Ponte da Amizade. Mas pediu, também, a reabertura das fronteiras entre Pedro Juan Caballero e Ponta Porã, e entre Salto del Guairá e Mundo Novo.

O presidente brasileiro disse que vai pedir estudos e providências internas e que ambos poderão se encontrar em Foz do Iguaçu antes de 15 de outubro, para oficializar o acordo entre os dois países.

Bolsonaro aproveitou para levantar outra questão com o seu par paraguaio: a falta de obras, inclusive da nova Aduana em Presidente Franco, no local onde já está em plena construção a Ponte da Integração Brasil-Paraguai, a segunda sobre o Rio Paraná a unir os dois países.

Depois do telefonema dos presidentes, o ministro-chefe da Casa Civil, Braga Neto, disse que tomaria providências para que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e o Ministério da Saúde façam os estudos necessários para a reabertura.

Disse, também, que organizará reuniões com demais órgãos envolvidos, inclusive para avaliar a necessidade de rever a portaria que ampliou por mais 30 dias o fechamento das fronteiras do Brasil.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal