Lembrando de Raul Seixas, o profeta brasileiros dos novos tempos

Pedro Ribeiro

raul seixas, vídeo, profeta, música, covid, covid-19, coronavírus

Este fim de semana foi punk, como diz a rapaziada do boné virado. Não bastasse a pandemia que vem nos consumindo como um monstro voraz, ainda temos que conviver com maldades de amadores que não passam de carregadores de papel higiênico para o chefe. Que também não deixa de ser um delinquente juvenil, e distribuem notas com carimbo de “fake news” nas redes sociais, tentando desvirtuar o tema, jogando no colo da imprensa a irresponsabilidade e até a incompetência na gestão administrativa ou política em que atua. Tudo para se livrar do ônus político, achando que a sociedade toda é besta. A mesma sociedade que lhe deu voto de confiança.

Por isso resolvi, excepcionalmente hoje, escrever uma coluna diferente e prestar minha homenagem ao meu grande ídolo que, embora tenha nos deixado há mais de 30 anos, continua na nossa memória como o mais lúcido dos profetas brasileiros: Raul Seixas.

Entre suas várias músicas com mensagens espirituais, fico com “ Ói, olha o céu, já não é o mesmo céu que você conheceu. Não é mais. Vê, ói que céu, é um céu carregado e rajado, suspenso no ar. Vê, é o sinal, é o sinal das trombetas, dos anjos e dos guardiões. Ói, lá vem Deus, deslizando no céu entre brumas de mil Megatons. Ói, olha o mal, vem de braços e abraços com o bem num romance astral…”.

Coloco neste espaço um vídeo que circula nas redes mostrando um pouco do que já dizia o mestre Raul. Vejam o vídeo:

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal