Lula não aprendeu nada no tempo ocioso de cadeia

Pedro Ribeiro

caso sítio de atibaia, condenação, lava jato, luiz inácio lula da silva, lula, operação lava jato, trf 4

 

Quase dois anos de prisão, onde poderia aproveitar o tempo ocioso para autocrítica, reciclagem e até estudar e planejar um país melhor após deixar a cadeia, mas nada. Lula não aprendeu nada e saiu da cadeia do jeito que entrou, criticando, condenando e provocando. Ele fala para os apaixonados por ele e não pelo Brasil, que precisa crescer, gerar empregos e dar qualidade de vida aos seus habitantes. Lula é egoísta e, ao aumentar o tom de voz em criticas ao presidente Jair Bolsonaro e ao ministro da Justiça, Sergio Moro, esquece que está aumentando a legião dos que o odeiam.

Ao mesmo tempo, essas pessoas que idolatram o ex-presidente, também não pensam no país e, numa visão míope de apaixonados pelo ídolo, esquecem que o Brasil é grande e que precisa de liderança pés no chão para comandar uma nação de 210 milhões de pessoas.Não é fomentando o ódio, provocando instituições democráticas que se governa, principalmente em um país que, nos últimos dois a três anos, passou a acompanhar mais de perto a política partidária, a cobrar mais ações dos parlamentares instalados no Congresso Nacional e a questionar a própria corte superior.

Atacar Sergio Moro que, bem ou mal, colocou centenas de bandidos na cadeia e recuperou bilhões de reais saqueados ilicitamente dos cofres públicos com a operação Lava Jato, é dar as costas para ações de moralização que poderiam contribuir para um país melhor.

DESTRUIDOR DE SONHOS

Como disse o jornalista Alceo Rizzi, Lula mantém o domínio da retórica emocional e o tempo de cárcere parece que também não mudou seu estilo, o seu compromisso com o que o que lhe sai pela boca. As palavras importam ao proselitismo de um momento, independem de memória que não lhe seja útil à empolgação de uma plateia, melhor ainda se ela já tem por ele opinião formada, de fascínio e devoção.

No discurso no ABC, fala a sua verdade e nomina o ministro da Economia, Paulo Guedes, como “destruidor de sonhos e de empregos”. Não se lembrou dos 13 milhões de desempregados deixados por sua sucessora, a quem elegeu, na pior recessão enfrentada pelo País. Com o dom e o carisma, é capaz de subverter a verdade e a lógica e convencer até mesmo liberais desatentos. Tem o poder de superar com eficiência qualquer esquema de fake-news.

Se o Congresso Nacional reverter a prisão em segunda instância, Lula volta para a cadeia e teremos, novamente a mesma legião de apaixonados dizendo que Lula é Inocente e Lula Livre.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal