Quem roubou tem que ser preso, diz Lula sobre a Lava Jato

Pedro Ribeiro


 

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva dobra os joelhos e reconhece que a Operação Lava Jato teve méritos. Mas continua esperneando em relação à sua prisão. “Sou contra transformar uma operação policial em uma operação política partidária para tentar evitar que eu fosse presidente da República”, questionou em entrevista ao canal RT, da Rússia., publicada neste domingo.

Para Lula, a Operação Lava Jato, enquanto uma operação de combate à corrupção, “teve mérito em algumas coisas. Prendeu gente que confessou que roubou e todo mundo que roubou tem que ser preso”.

Lula fez duras críticas ao ex-procurador-geral da República, Rodrigo Janot, a quem chamou de mentiroso. “Nós falávamos com o procurador-geral da República, todo poderoso e todo mentiroso. A gente já dizia isso na época, mas a imprensa quase transformou ele em Deus”, disse Lula.

O petista usou o livro de Janot para reforçar a tese que foi perseguido politicamente para não concorrer às eleições de 2018.

“Leia na página 182, onde ele diz “o objeto de desejo chamado Lula”’. Eu era uma espécie de Copa do Mundo para a Lava Jato. Eles queriam me conquistar porque era uma obsessão me trazer para Curitiba”, completou.

Na semana passada, Lula  decidiu que não vai aceitar a progressão para o regime semiaberto após o MPF (Ministério Público Federal) pedir à Justiça o petista comece a cumprir a pena em prisão domiciliar

“A hora que eu aceitar a progressão, estou aceitando a ideia que eu cometi um crime e por isso estou sendo beneficiado. Quem cometeu crime foi quem me condenou. Quero sair daqui de cabeça erguida”, comentou Lula. (Com Vinicius Cordeiro).

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.