Maduro é apenas um fantoche da quadrilha que saqueia a Venezuela

Pedro Ribeiro


 

Na Venezuela, o pavio foi aceso e a qualquer momento pode explodir uma guerra civil sem precedentes em uma nação desgovernada e comandada de dentro das trincheiras por um ditador demente

O banditismo de quadrilha que saqueia a Venezuela, com disfarce e roupagem ideológica de uma esquerda bolivariana caricata, abjeta e incompetente, só vai terminar quando esse rufião chamado Nicolas Maduro, o seu presidente, tiver o fim que merece. É injusto que se dê a este canastrão uma saída honrosa e diplomática diante dos crimes que tem cometido contra seu povo que está morrendo às minguas por falta de alimentos. E de outros milhares que tem deixado o país em trilhas de absoluto desespero, na luta pela sobrevivência,
Encena pose de estadista destemido, vocifera contra o imperialismo ianque mas já está se borrando, só se sustenta ainda pelas mãos dos oficiais corrompidos de uma Forças Armadas Nacional e de suas milícias. Em sua demente soberba, em bravata, manifesta desejo de conversar com o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump para falar sobre Venezuela, mas sabe dos obuses que os gringo podem estar lhe reparando.
Covarde, o bufão não hesita em mandar matar venezuelanos que permanecem no País decididos a enfrentá-lo, ao contrário de outros 3 milhões que fugiram do inferno para se abrigarem em outros países o equivalente a 10 % da população. A Venezuela se divide em uma cenário de tragédia anunciada.
E o tirano se agarra em discurso de viés ideológico para manter a simpatia e agradar imbecis de uma esquerda obtusa e deprimente que se espalha pelo Continente, porque a estupidez não é apenas geográfica, é também característica dos insensatos. Está no mesmo DNA dos que ainda defendem um governo que transformou a Venezuela em um Narco-Estado, a pretexto de um projeto socialista, um governo popular, gente como Gleisi Hoffmann, presidente nacional do PT e outros adestrados.
Mas, justiça se faça, não é toda a esquerda nem todo o PT que concorda com essa pantomima que espalha seu horror no país vizinho. Mesmo a Internacional Socialista, reunida na República Dominicana nesta terça-feira, condena Maduro e o chama de ilegítimo e tirano.
Essa mesma esquerda de cartilha, de paixão febril e doentia, em permanente síndrome de estrabismo cognitivo, é a mesma que aplaude a chantagem velada desse rufião em transformar a Venezuela em um caldeirão de sangue com suas armadas e milícias se houver tentativa de apea-lo do poder. Maduro, hoje, é apenas um fantoche, o bobo da corte de uma quadrilha que junto com ele saqueia a Venezuela. Logo, logo, essas mesmas forças criminosas que o sustentam vão virar o cocho e o epílogo da sua vida pode acontecer como uma repetição do que já ocorreu dentro da História. Trágica e comemorada.
Alguém já se informou sobre o drama dos refugiados venezuelanos? Entre eles os que estão em abrigos ou jogados pelas Ruas em Roraima? Já deram atenção para seus relatos? Estão lá, engenheiros, professores, contadores, tantos outros, gente com qualificação profissional, mendigando migalhas de comida. Famílias destroçadas, separadas, dores pungentes e sentidas de gente em absoluto desespero, faminta e abandonada pelo seu País, governado pelo banditismo bolivariano. É uma calamidade, crime contra a humanidade, um êxodo de desesperança, eles são apenas estatísticas dos crimes que se comete por este bandido e sua quadrilha no governo da Venezuela.
Nicolas Maduro não merece saída honrosa ou diplomática. Um eventual asilo político onde pode usufruir o que roubou de seu povo.
Por ato de misericórdia, o máximo se poderia lhe permitir, seria pagar pelos seus crimes na amargura de anos de prisão em um dos porões fedorentos para onde tem mandado muita gente quando não dá ordem para matar.
Ainda assim, seria apenas uma condescendência!
Têm coisas que são imperdoáveis!
Maduro é apenas uma delas!

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="590223" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]