MAIS CEDO OU MAIS TARDE

Pedro Ribeiro


A essa altura do campeonato, faltando menos de um ano para o fim de seu mandato, pode ser até compreensível não imputar ao presidente impedimento no cargo como pena sumária pelos seus crimes cometidos com seu negacionismo e toda espécie de sabotagem à vacinação e a todos os esforços para o combate ao vírus da pandemia. Ainda que possa eventualmente ser polêmico ou controverso.

Mas não há que se falar em solidez da democracia e de instituições do País que, ao fim de seu mandato, que se espera seja breve, ele permaneça impune e não leve de arrasto com ele, para acerto de contas nas barras da Justiça, essa horda de delinquentes que a ele se devota, principalmente os de jalecos que também se unem na cruzada negacionista.

Deveriam, isso sim, ser responsabilizados desde já pelo cenário criminoso a que o País assiste, de ameaça de colapso na oferta de leitos de UTIs em alguns estados já quase esgotada, a maioria ocupada por estúpidos negacionistas que se infectaram pelo vírus por terem se recusado a tomar a vacina. A impunidade eventual dessa gente será um atestado da falência absoluta da dignidade e da democracia do País.

Obrigatoriamente, precisam prestar contas um dia, assumir a responsabilidade. Não é questão política ou ideológica, é crime, delinquência, atentado à vida humana, é do que se trata. Nada mais que isso!!

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="817307" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]