Manobras no Palácio Iguaçu, na Prefeitura e no PSD tiram Ney Leprevost do páreo

Pedro Ribeiro

Governador Ratinho Junior com secretário da Justiça e Trabalho, Ney Leprevost, em encontro no Palácio Iguaçu

Mesmo vencendo a convenção do partido, o PSD, marcada para o próximo dia 15, o deputado federal, Ney Leprevost, certamente desistirá de sua candidatura à Prefeitura de Curitiba. A decisão atenderia não apenas a uma solicitação do governador Ratinho Junior (PSD) para retornar à Secretaria de Justiça, Criança e Trabalho, mas para resolver um problema interno dentro da agremiação que começou com uma manobra da cúpula ao absorverem, no partido, o jovem Eduardo Pimentel, vice-prefeito de Curitiba, para manter apoio do governo ao atual prefeito e candidato à reeleição, Rafael Greca. Ali começou a queda de Ney Leprevost que terá, pelo menos, uma saída honrosa, já que não conseguirá medir forças com o poder.

Ao comandar diretamente o processo que destitui Leprevost para apoiar o prefeito e candidato à reeleição, Rafael Greca, o governador Ratinho Junior e seu principal assessor no Palácio Iguaçu, secretário Guto Silva, devem saber que terá, para a frente, um candidato literalmente de peso para concorrer ao Palácio Iguaçu.

Todos sabem que o objetivo, a meta, de Rafael Greca é chegar ao Palácio Iguaçu. Agora, com o apoio do governador, fica mais fácil desenhar sua estratégia para governar o Estado. Em 2022 ou 2026. Mas Ratinho Junior deve ficar esperto e ler a fábula do escorpião e o sapo. Não custa.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal