Médico paranaense importa aparelho que acaba com impotência sexual

Redação


 

A impotência sexual acende luz amarela no Brasil e os números são assustadores. Nesta quinta-feira, o médico urologista, Sérgio Bassi, aproveitou o Novembro Azul para mostrar a jornalistas que é preciso olhar com mais atenção para este assunto, explicando que os problemas de ereção atingem mais de 25 milhões de brasileiros e que o Brasil registra um milhão de novos casos de impotência por ano.

Dos 25 milhões de brasileiros que apresentam problemas de ereção, Bassi disse que 95% deles demoram, em média, mais de três anos e meio para marcar uma consulta com um especialista. Ao apresentar o portal “O Homem e a Saúde”, com informações sobre impotência, hormônios, ejaculação precoce, próstata grande, câncer e incontinência, o urologista mostrou que mais de 25 milhões de homens acima de 18 anos apresentam algum grau de impotência sexual.

Segundo Bassi, 47% da população masculina adulta do país apresentam algum grau de impotência como: 4% de impotência severa, 9% de impotência moderada e 34% de impotência leve. Na faixa de 40 anos, 30% dos homens não conseguem ter relação sexual por falta de ereção adequada.

Um outro dado que chamou a atenção dos jornalistas é o de que, no Brasil, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, ficando atrás apenas do câncer de pele não melanoma. O câncer da próstata é o sexto tipo mais comum no mundo e o mais prevalente em homens, representando cerca de 10% do total dos cânceres.

O médico explica que a grande maioria dos tumores de próstata cresce de forma tão lenta que leva cerca de 15 anos para atingir 1 cm3. Três quartos dos casos de câncer de próstata no mundo ocorrem a partir dos 65 anos.

Impotência

Bassi observou que os medicamentos para estimular a ereção, como Viagra, Cialis e outros, são paliativos e tem pouco tempo de durabilidade. Há alternativas mais modernas, disse, pontuando avanços com o uso de ondas eletromagnéticas para o tratamento curativo da impotência. Com cinco sessões de aplicação indolor e não evasiva de ondas, o homem pode revitalizar, melhorar e até mesmo tratar parte dos casos de impotência.

O urologista, com mais de 30 anos de consultório e com especializações nos Estados Unidos e França está importando este aparelho chamado de Aries ED para a realização do tratamento com ondas magnéticas e está apenas dependendo de liberação pelo ministro da Saúde, Ricardo Barros.

Previous ArticleNext Article
[post_explorer post_id="487032" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]