“Menudos” crescem na prefeitura de Curitiba e ganham poder

Pedro Ribeiro


 

Por Aroldo Murá

 

O jornalista político Aroldo Murá analisa que ilude-se quem veja fragilidade no silêncio do assessor especial do prefeito Rafael Greca, Lucas Navarro de Souza. Antes uma figura tão presente em fotos e nos locais públicos, agora ele passa por uma transformação e, como diria o sábio Fábio Campana, “está se tornando uma lua preta”. Cada vez tem aumentado a sua força política e aprendeu a não entrar em disputas de varejo e comprar brigas baratas.

Nos bastidores, atesta a eficiente servidora Dona Matilde da Luz, só cresce a presença da tropa de “Menudos” dentro da prefeitura”. São jovens comandados por Lucas, que ocupam cargos em todas as secretarias, e que representariam 20% dos 500 cargos em comissão nomeados pelo prefeito.

Lucas que antes nomeava apenas os seus amigos da sua humilde origem no Pilarzinho, agora tem força para nomear qualquer pessoa. Sob sua mão foram atendidos indicados de vereadores, líderes comunitários e, até, empresários.

Tudo se encaminha, com a força que o alcaide concede ao seu “primus inter pares”, a que o moço concorra a deputado em 2022. Se isso se consumar, uma enorme encrenca estará posta com outros que não escondem a mesma intenção de ir para a ALEP. Um deles, o Pier Petruzziello (PTB).

PARECE. MAS NÃO É

Há quem diga que Lucas é fisicamente parecido com o ex-menudo Robby, um dos primeiros integrantes do grupo musical porto-riquenho, que fez sucesso global na década de 80/90 do século passado. Como o cantor porto-riquenho, Lucas veio de família pobre e ascendeu rápido, tendo como aliados o frescor de sua juventude e a oportunidade de exibir seus talentos, tal como fizeram os jovens daquela geração.

Com enorme capacidade de infiltrar-se no grupo íntimo do alcaide (como?), Lucas se tornou o querido do prefeito Rafael Valdomiro Greca, que o transformou em assessor direto dele. O prefeito deu-lhe notáveis liberdades – sabe-se na Prefeitura. Até a de Até mostrar opiniões e tomar liberdades com relação a temas da administração pública.

Lucas é aturado pela primeira-dama, Margarita Sansone, e também pelo “capo di tutti i capi” da banca jurídica do prefeito, Giovani Gionédis. Secretários o temem, como o supersecretário Luiz Fernando Jamur, e outros o querem por perto, como o Alexandre Jarschel de Oliveira, da Administração.

PAPEIS DA TROPA

A tropa de “Menudos” tem funções diferenciadas. Dona Matilde da Luz, que prefere preservar o nome dos jovens, para que eles não sofram represálias, explica que há aqueles em cargos de relevância, caso de diversos que atuam na Secretaria das Finanças e no Ippuc, que “ajudam” e sabem o que fazem.

No entanto, há aqueles que servem apenas para emitirem relatórios sobre seus superiores e verificar se as ordens “de cima” são obedecidas. E com base nesses relatórios, Lucas usa a informação para minar secretários e diretores, segundo me segreda um vereador que até é “um pouco Greca”.

Tal como a música dos Menudos, “Não se reprima”, Lucas Navarro soltou seus instinto e descobriu que a vida é uma festa. E agora ele manda. Sempre ao som dos antigos Menudos: “vá em frente entre numa boa/porque a vida é uma festa”…”Não se reprima/dança/ canta /sobe /desce/ vive sonha como eu!”

 

Aroldo Murá é jornalista

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="774800" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]