Mesmo com água no pescoço, Lula não se entrega

Pedro Ribeiro


O homem não se entrega. Com a água batendo no nariz, o ex-presidente Lula já anuncia seu ministro chefe da Casa Civil: José Múcio, conselheiro do Tribunal de Contas da União (TCU). Enquanto a vaca ainda não foi para o brejo, Lula aceita até uma aliança com o PMDB de Michel Temer. Tudo pelo poder ou para se livrar do pesado fardo que vem carregando nas costas.

Gilmar Mendes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (STE) considera natrual que o julgamento de Lula no Tribunal Regional Federal (no RS) tenha sido marcado para dia 24 de janeiro.A 8ª Turma do tribunal decidirá se mantém ou não a condenação do petista a 9 anos e 6 meses de prisão pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro no processo da Lava Jato envolvendo o tríplex do Guarujá, supostamente dado ao petista como propina pela empreiteira OAS. Apoiadores de Lula criticaram a data, afirmando que houve pressa do TRF4.

Segundo Mendes, “no próprio Supremo Tribunal Federal, nós damos prioridade para os processos mais sensíveis. Então, não vejo como censurar o Tribunal Regional de Porto Alegre por ter dado – se é verdade que deu – prioridade em nome da segurança jurídica. Nós estamos vivendo um ambiente político bastante tenso, então é normal que haja reclamação”, considerou Gilmar, durante a entrega da Ordem do Mérito do TSE de 2017 a diversas autoridades, no Rio de Janeiro.pedro.ribeiro

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal