Moro instala em Foz Centro de Combate ao Crime nas Fronteiras

Pedro Ribeiro


O Ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, estará nesta quarta em Foz do Iguaçu para participar da 50ª Reunião de Ministros da Justiça do Mercosul e Estados Associados e da 44ª Reunião de Ministros do Interior e da Segurança do Mercosul e Estados Associados. Na Itaipu Binacional, será instalado um centro de operações da fronteira.

Moro vai fazer um relato dos 300 dias de governo Jair Bolsonaro na área da Segurança Pública com foco nas ações de defesa das fronteiras contra o contrabando de drogas e armas. O ministro apresentará aos participantes os “centros integrados de operações de fronteira”. Com o centro na Itaipu, a expectativa é a de garantir mais seguranças nas fronteiras.

São 12 grupos de trabalho que vão apresentar propostas para combater a criminalidade que afeta igualmente todos os países.

CENTROS DE FUSÃO

 Centro Integrado de Operações de Fronteiras (CIOF) que será instaurado em Foz do Iguaçu vai funcionar no modelo dos Fusions Centers, ou os Centros de Fusão, instaurados nos EUA, os quais promovem o compartilhamento de informações entre órgãos de segurança, de justiça e de investigação americanos. O CIOF é um projeto do Ministério da Justiça para integrar as forças de segurança brasileiras e Foz terá o plano piloto da iniciativa.

Na manhã desta sexta-feira, o capitão da PM, Clayton Oliveira Lima, representante do Paraná no grupo de trabalho criado pelo Ministério da Justiça para a estruturação do CIOF, fez uma visita ao Instituto de Desenvolvimento Econômico e Social de Fronteiras (IDESF). Lima foi recebido pelo presidente do Instituto, Luciano Barros. “A importância da implantação desse projeto está no aumento da capilaridade do Estado para combater crimes transnacionais através da integração entre os agentes de segurança brasileiros e dos países vizinhos”, destacou Barros.

O modelo do CIOF será replicado em outras áreas da região de fronteira. Nos EUA, atualmente são 79 Fusions Centers em operação. “Não há como falar de segurança pública sem integração dos órgãos”, avalia Lima. Durante a visita, Barros presenteou o capitão com o terceiro volume do livro (Re)Definições de Fronteiras, uma publicação da Editora IDESF, que traz trabalhos científicos de pesquisadores de várias partes do mundo, em português, inglês e espanhol, sobre as realidades de fronteiras.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal