Morretes lança campanha para proteger saúde e movimentar economia

Pedro Ribeiro

morretes turismo paraná culinária

Para amenizar o impacto da Covid-19 em Morretes, no litoral paranaense, a prefeitura municipal e o trade do turismo local (Convention & Visitor Bureau) lançaram a campanha “Morretes Destino Certo” visando proteger a saúde da população como solução para a retomada da economia.

A iniciativa reforça medidas já regulamentadas pelo município, como obrigatoriedade do uso de máscara, proibição de aglomerações e protocolos rígidos de distanciamento social, além da fiscalização com barreiras sanitárias. A campanha também pede colaboração, por parte da população, com os profissionais que estão na linha de frente, protegendo a cidade.

Outra medida implementada foi a proibição da entrada de pessoas que não residem em Morretes, desde o dia 9 de abril, o que impactou diretamente no turismo local, que já registra prejuízo de aproximadamente R$ 8 milhões entre os meses de março e junho. Em todo o Paraná, a pandemia também registrou impacto econômico no setor turístico: 50,6% dos entrevistados pela pesquisa realizada pela Paraná Turismo apontam que as restrições impostas pelo surto do novo coronavírus impactará até 75% da receita em 2020.

De acordo com o levantamento realizado pela Universidade Estadual de Londrina, mais de 40% da população ativa em Morretes está empregada direta ou indiretamente pelo setor de turismo. O número também gera impacto na arrecadação de impostos do município, principalmente de ISS. “De forma indireta, todos dependem do turismo, porque a economia recebe uma injeção grande desse setor há muitos anos. A interrupção das atividades impacta bastante a cidade”, comenta o presidente do Morretes Convention & Visitors Bureau, Lourenço Malucelli.

Empreendedora do setor do turismo na região, Tatiana Perim afirma que a urgência no momento é conscientizar a população para que as medidas de contenção da doença sejam seguidas e a retomada do turismo aconteça o mais rápido possível . “É imprescindível que toda a população adote as medidas preventivas para evitarmos um avanço acelerado da doença. O quanto antes contermos os índices na cidade, mais rápido poderemos pensar na reabertura cautelosa do turismo, que é uma das principais fontes de renda da região”, destaca.

A campanha está disponível nos canais @prefmorretes, @visitemorretes e no Youtube

Convention

O Morretes Convention & Visitors Bureau é uma entidade apolítica e sem fins lucrativos, formada por aproximadamente 15 empresas empenhadas em apoiar o desenvolvimento do turismo local. São restaurantes, pousadas, parques, hotéis e comércios que acreditam no potencial gastronômico, histórico e natural de Morretes.

Morretes

Para conhecer um pedaço do paraíso na terra, basta percorrer alguns quilômetros. Se você estiver em Curitiba, são pouco mais de 60 quilômetros pela BR 277 em direção a Paranaguá, praticamente a mesma distância pela centenária Estrada da Graciosa, tomando a BR 166, com destino a São Paulo, ou pelo charme da ferrovia, via Litorina. Pronto. Você chegou a Morretes, histórica cidade do litoral paranaense, que encanta pelos seus casarios, pelas dezenas de rios,comandados pelo majestoso Nhundiaquara que corta a cidade e pela gastronomia.

Morretes é uma cidade famosa por seus restaurantes, que vendem um prato típico da região chamado barreado. A paisagem do município é complementada por três pontes (duas pontes de aço e uma de concreto). Até o século XVI, era território dos índios carijós (etnia indígena que ocupava a faixa litorânea brasileira desde Cananéia até a Lagoa dos Patos). Fundada em 1733, Morretes é uma cidade histórica do Paraná – e é justamente nesse ponto que o episódio irá aprofundar.

O município de Morretes preserva a sua história e nos instiga a refletir sobre o passado, incita a compreender que existe algo no passado que precisamos resgatar: a nossa ligação com a natureza. O Rio Nhundiaquara, que corta a cidade, nos conecta ao passado. Ao seu redor, não há metrópoles, não há arranha-céus, a rigidez do concreto. Os arredores do Rio Nhundiaquara nos apresentam a exuberância da mata atlântica.

Hakuna Matata

Um os pontos de parada para visualizar e curtir toda essa maravilha é a pousada Hakuna Matata onde, das varandas ou janelas dos apartamentos e chalés os turistas podem observar o paredão do conjunto Marumbi, uma espécie de escudo protetor da cidade encravado na Mata Atlântica, a mais preservada do Brasil.

A pousada fica na Reta do Porto, distante três quilômetros do centro histórico da cidade e a três quilômetros também do charmoso bairro do Porto de Cima, onde os turistas fazem pit-stop na ponte de ferro, sob o rio Nhundiaquara, para observar o Marumbi. Ali também é o ponto e partida para caminhadas e subida até o Olimpo.

Localizada em frente a praça da Igreja de São Sebastião do Porto, na localidade de Porto de Cima, a seis quilômetros do centro de Morretes, a Pousada Dona Siroba, um casarão estilo colonial construído por imigrantes italianos há 130 anos e hoje totalmente remodelada para atender turistas, está se preparando para abrir suas portas nos próximos dias e voltar às atividades normais.

A Pousada Dona Siroba está enraizada em uma área de vegetação natural e aos pés do Marumbi, conjunto de montanhas e cartão postal da preservada mata atlântica paranaense. Da janela do quarto, da varanda do chalé, da beira da piscina ou do restaurante ao ar livre ou no salão principal, o turista não cansará de olhar este paredão que mais parece um escudo de Deus protegendo a cidade de Morretes.

Prato típico

Na pousada o turista tem, além de quartos e suítes, com ar condicionado e TV, frigobar, internet, restaurantes – um interno e outro externo para eventos ou grupos – piscina, cancha de futebol, churrasqueiras, parque infantil, lago para pesca e pista para caminhadas leves. São 14000 metros quadrados de área divididos em construção e plantas silvestres.

Durante estes 40 dias, período de isolamento social em função do coronavírus, a Pousada Dona Siroba fechou suas portas, mas, internamente, não parou e se preparou para melhor atender os turistas, agora também sob nova direção. “Este período em que enfrentamos a pandemia foi muito difícil para o nosso negócio – pousada e restaurante – mas servindo para ampliar nosso aprendizado”, comenta a proprietária da casa, Jessica Holleben.

Além da infraestrutura para atender ao turista e sua família, a Pousada Dona Siroba tem um diferencial: o barreado, prato típico de Morretes, além de um cardápio variado de frutos do mar. Quem comanda a pousada é a gerente Silvia Regina Cit que não tira o olho da cozinha. É a própria, que há mais de 20 anos prepara um os melhores e mais concorridos barreados do Porto de Cima e Morretes.

Para chegar na Pousada Dona Siroba, uma das mais tradicionais de Morretes, o turista pode descer a serra do mar via Estrada da Graciosa, onde além de apreciar a paisagem cercada de montanhas e mata virgem, a via tem grande parte dela cerca de Hortênsias e flores silvestres. Também pode ir pela BR-277 Curitiba-Paranaguá, entrando em Morretes e seguindo seis quilômetros do centro da cidade pela Reta do Porto e ainda de trem.

Nhundiaquara

Outro diferencial da Hakuna Matata é que ela está há apenas 100 metros do Rio Nhundiaquara que nasce no alto da Serra Marumbi e deságua na Baía de Paranaguá.
Com 37 km de extensão, é possível praticar no rio esportes como canoagem, rafting, boia-cross e pescarias, tornando-se um rio de referência turística para o município de Morretes, localizado na região litorânea do estado do Paraná.

Suas nascentes estão localizadas a 1.400 metros de altura (em relação ao nível do mar), dentro da Serra Marumbi (ou Parque Estadual Pico do Marumbi), na mata atlântica do litoral paranaense (também conhecido como Serra do Mar), região pertencente ao município de Morretes.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal