Ney repassa R$ 1,6 milhão para o Pequeno Cotolengo

Pedro Ribeiro



Mais uma ação digna de reconhecimento por todos foi realizada pelo secretário da Justiça, Família e Trabalho do Governo do Paraná, deputado Ney Leprevost, ao repassar R$ 1,6 milhão ao Pequeno Cotolengo que, neste final de semana esteve movimentado com churrasco promovido por pais e amigos das crianças que são acolhidas pela instituição.

Os recursos, explica o secretário Leprevost, foi através da captação feita pelo Banco de Projetos do Fundo da Infância e Adolescência, do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca), serão aplicados no desenvolvimento do projeto “Acolher para proteger”.

Esses recursos serão utilizados para atender 22 crianças e adolescentes com deficiências múltiplas e comprometimentos neurológicos, que se encontram em situação de abandono, através do acesso ao acolhimento, saúde e educação.

Leprevost informa ainda que o governo, através da Sejuf, também está liberando durante este ano ao Pequeno Cotolengo mais R$ 3,9 milhões para o atendimento a 127 acolhidos pela entidade. Este repasse vai beneficiar o desenvolvimento e bem-estar, assim como vai garantir o pleno exercício da cidadania e direitos das crianças e adolescentes.

As assinaturas dos termos de fomento foram feitas pelo secretário da Sejuf, Ney Leprevost e pelo padre Renaldo Amauri Lopes, diretor-presidente da instituição e totalizam o repasse de R$ 5,2 milhões somente em 2019 para o Pequeno Cotolengo. “Estamos trabalhando em prol do povo com objetivo de atender os paranaenses que mais precisam, por isso assinamos hoje termos de fomento. Esse repasse mostra o comprometimento dos empresários para serem parceiros das entidades sociais, por meio da destinação de parte do imposto de renda devido”, disse.

BANCO DE PROJETOS

Dois fundos estaduais, o FIA (Fundo da Infância e da Adolescência) e Fipar (Fundo Estadual dos Direitos do Idoso), têm Bancos de Projetos que preveem a captação de recursos por meio do processo de dedutibilidade do Imposto de Renda, de até 1% sobre o lucro real no caso de pessoas jurídicas e até 6% para pessoas físicas, destinados às organizações governamentais e não-governamentais, que tiveram seus projetos aprovados. As doações podem cofinanciar o projeto total ou parcialmente os programas sociais que atendem crianças, adolescentes, pessoas com deficiência.

O secretário Ney Leprevost tem conclamado os empresários a participarem dos Bancos de Projetos, administrados pelo Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca) e Conselho Estadual dos Direitos do Idoso (Cedi), ambos vinculados administrativamente à Secretaria de Justiça, Família e Trabalho.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.