Nhonho reage ao apelido que já começa a viralizar nas redes

Pedro Ribeiro

Rodrigo Maia - Câmara dos Deputados - reforma da previdência

Quando algumas autoridades do governo, em especial o ministro da Economia, Paulo Guedes, pensava que as coisas iriam andar bem entre o Palácio do Planalto e a Câmara dos Deputados, na votação de pautas de interesse do Executivo, em especial as reformas, lá vem bomba.

Nos corredores da Câmara dos Deputados e nas rodas de jornalistas que cobrem o Congresso Nacional, a figura em destaque não é o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, mas seu suposto personagem o “Nhonho” o seriado Chaves. Ao passar, ninguém consegue conter os risos: “la vai o nhonho”.

No dicionário informal, a palavra “nhonho” significa uma pessoa tonta, bobo, que só fala besteiras. Foi assim que o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, se referiu ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia.

Nhonho, ou Maia, não deixou por menos e partiu para o ataque, dizendo que o ministro Salles, não satisfeito em destruir o meio ambiente do Brasil, agora resolveu destruir o próprio governo. O ministro que quer destruir os manguezais e as restingas se relacionou a Maia como o personagem abobado do programa de humor mexicano Chaves.

Maia também acusou o presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, de ter vazado informações sobre conversa que os dois tiveram na quarta-feira, 28.

A conversa, revelada pelo Estadão, aconteceu no dia de decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central, que manteve em 2% a taxa Selic.

Nesta quinta-feira, 29, Maia postou na sua conta do Twitter que Campos Neto não está “à altura de um presidente de Banco de um país sério” ao “vazar” para a imprensa conversa particular que tiveram.

Uma hora depois, o presidente da Câmara voltou à rede social para dizer que recebeu uma ligação de Campos Neto, que afirmou que não foi o responsável por divulgar a jornalistas o conteúto da conversa que tiveram ontem. “Diante da palavra do presidente, o vazamento certamente foi provocado por terceiros. Deixo aqui registrado a ligação e a confiança que tenho nele”, escreveu Maia.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal