No Brasil, dobram número de pessoas com armas registradas e importações de carabinas e espingardas

Pedro Ribeiro


 

Dados do Anuário Brasileiro de Segurança Pública revelam que o Brasil dobrou em apenas um ano o número de armas registradas em posse de cidadãos e, no mesmo período, as mortes violentas cresceram. Tudo durante o isolamento social instituído em função da pandemia do coronavírus.

O anuário foi publicado nesta quinta-feira (15/7) e, segundo aponta o Sinarm, sistema da Polícia Federal que cadastra posse, transferência e comercialização de armas de fogo, houve 186.071 novos registros em 2020, um aumento de 97,1% em um ano. A maioria desses registros é de cidadãos privados.

O Brasil fecha 2020 com recorde de 180 mil novas armas de fogo registradas na PF. A liberação de armas é uma das principais bandeiras defendidas pelo governo Jair Bolsonaro.

O governo federal que estimula o armamento pessoal não vê que a facilitação no acesso de armas favorece a violência e os números acima mostram isto.

O relatório também mostra que dobrou a autorização de importações de armas de fogo de cano longo, categoria que inclui, por exemplo, carabinas, espingardas e fuzis.

Houve, ainda, alta de 29,6% nos registros de colecionadores, atiradores desportivos e caçadores, os chamados CACs.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="775967" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]