Noções de fisco na escola primária

Pedro Ribeiro


 

Com a crise na Secretaria da Fazenda, onde é clara a intenção do corporativismo de comprar a passagem do secretário  Renê Garcia Junior e colocá-lo no primeiro ônibus com direção ao Rio de Janeiro, o governador Ratinho Junior vem procurando encontrar uma solução não apenas para apaziguar o terreno minado mas, e principalmente, para aumentar a arrecadação e evitar cortes mais drásticos na gestão do Executivo estadual. U

Uma das medidas foi a substituição da direção geral da Secretaria da Fazendo que, segundo deputados que acompanham o quiprocó, dizem ser saudável do ponto de vista das ações de arrecadação de tributos. Há, no entanto, parlamentares que apostam na saída de Renê Garcia Junior, o que o Palácio Iguaçu nega e afirma tratar-se de problema interno motivado pelo corporativismo reinante há décadas.

Resolver ou não o problema de imediato é um assunto para o governador Ratinho Junior que, ao mesmo tempo, pode observar a preocupação dos jovens paranaenses em relação a tão sério e delicado assunto que é a economia. Perto de 400 alunos com idades entre 11 e 12 anos da Escola Estadual Nossa Senhora da Salete, de Curitiba, aprenderam de forma lúdica sobre a função social dos impostos e por que eles são importantes no exercício da cidadania.

.Numa série de atividades que incluiu palestras, os alunos foram incentivados a fazer pesquisas, discutiram o conceito de cidadania e conversaram até sobre a presença do Estado na vida do cidadão no dia a dia, com a escola, o hospital, o posto de saúde, o transporte e tantas coisas mais.

E terminaram as 40 horas de treinamento da forma mais agradável possível, com teatro de fantoches, banda de música tocando rock e fazendo compras na “Vendinha do Fisco”, onde exercitaram os conceitos de cidadania que aprenderam, fazendo compras sem esquecer de pedir nota fiscal.

“O treinamento de educação fiscal é um compromisso do Estado”, diz a auditora fiscal Sandra Regina Alves, coordenadora regional da atividade desenvolvida pela Escola Fazendária do Paraná, ligada à Secretaria de Estado da Fazenda.

A Escola Fazendária, dirigida pelo auditor Mário Brito, fomenta ações de educação fiscal em todo o Estado e promove inúmeros cursos e treinamentos aos servidores da Secretaria da Fazenda.

Sandra Regina conta que na conversa com os alunos fala “sobre os impostos, que eles ouvem falar em casa, e explicamos que é isso que permite que eles tenham escola, merenda e tantas outras coisas”.

PILARES – A organizadora da atividade na escola, a professora de Língua Portuguesa, Edilmara Silva, é uma entusiasta do tema. Conta que trabalha a educação fiscal com base em três pilares: responsabilidade, honestidade e transparência no uso do dinheiro público. Segundo ela, alguns alunos ficaram tão interessados que trouxeram, espontaneamente, pesquisas feitas em casa sobre o assunto.

Na fila da “Lojinha do Fisco”, Kauane, de 11 anos, por exemplo, diz que nunca mais vai deixar que a mãe esqueça de pedir nota fiscal. Por que? “Assim tem mais impostos pra cuidar de quem precisa”, afirma.

João, 12 anos, concorda com a colega e diz que o pai sempre fala que está cansado de ouvir notícias de corrupção. Por isso acredita que sua geração vai ter de trabalhar muito para mudar o que ele ouve tanto falar.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.