Nos Estados, governadores orientam PMs para manter disciplina

Pedro Ribeiro

concurso, concurso público, pm, pmpr, polícia militar, polícia militar do paraná, nc, ufpr, núcleo de concursos, ufpr, suspenso, adiado

 

Governadores de vários estados recomendam às corporações de segurança pública, em especial Polícia Militar, para que mantenham disciplina na tropa para a garantia da ordem no dia 7 de Setembro, quando várias pessoas irão às ruas para protestar, a pedido do presidente Jair Bolsonaro, contra o Supremo Tribunal Federal (STF).

A intenção dos comandantes das PMs é afastar os policiais dos atos para diminuir o risco de conflito.

Recentemente houve episódios de indisciplina dentro das PMs, a maioria ligada à ação de políticos bolsonaristas, como o Ceará, Rio Grande do Norte, o Espírito Santo e São Paulo.

Nos dois primeiros, os governadores promoveram um número maior de agentes de segurança, fenômeno também registrado no Distrito Federal como forma de driblar o congelamento de salários do funcionalismo público. Ambos foram sacudidos pelas duas mais recentes greves de PMs no País entre 2018 e 2020, informou o Estadão

Outro Estado que conheceu um motim de policiais foi o Espírito Santo, em 2017. Ali o governador Renato Casagrande (PSB) decidiu colocar de prontidão todo o efetivo da PM no próximo dia 7, evitando assim que os policiais da ativa compareçam aos protestos.

Por fim, em São Paulo a Secretaria da Segurança Pública montou uma gigantesca operação na data, a Operação Independência, e mobilizou 27 mil PMs, 3,6 mil deles só para vigiar os atos da Avenida Paulista e do Vale do Anhangabaú. A Corregedoria da PM deve pôr todo o seu efetivo – cerca de mil homens – nas ruas para vigiar possíveis transgressões, publicou o jornal paulista.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="788056" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]