Nova ameaça dos caminhoneiros começa nas redes sociais

Pedro Ribeiro

Caminhão

 

Daqui para a frente tudo pode acontecer. Desandou de vez. Ao mesmo tempo em que as grandes empresas transportadoras fazem lobby para mudar a tabela do frete mínimo, os caminhoneiros voltam a se mobilizar nas redes sociais. Eles temem que os empresários consigam derrubar a tabela recém criada pelo governo como contrapartida ao fim da greve.
“Se essa tabela cair, vai ter uma greve pior que a última. E aí não vai ter negociação, pois eles vão querer provar para o mundo que são fortes, vai ser uma grande revolta”, diz Ivar Luiz Schmidt, representante do Comando Nacional do Transporte (CNT) e que foi o grande líder da paralisação de 2015.
Segundo o Estadão, foi ele quem criou os primeiros grupos de caminhoneiros no WhatsApp para organizar os protestos daquele ano. Nesta quarta-feira, Schmidt participa de quase 90 grupos na rede. “Tá todo mundo só esperando que a tabela seja derrubada para parar tudo de novo”, afirma. “E, pelo que estou vendo no WhatsApp, pode ter certeza de que isso vai acontecer.”

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal