O agronegócio paranaense, a geração de emprego e participação no PIB

Pedro Ribeiro


 

O agronegócio paranaense anda sozinho e muito bem. É, portanto, irreal quando governantes tentam colocar em sua conta de gestão pública, o sucesso do agronegócio. O governo não planta, não colhe, não negocia. Apenas incentiva com o oferecimento de crédito a juros mais baixos através de suas instituições financeiras (de crédito).

Para ilustrar o sucesso do agronegócio paranaense, recente estudo do Ipardes mostra que a participação do setor no PIB do Paraná é de 33,9%, o que corresponde a R$ 142,2 bilhões.

Segundo a FAEP, o último dado disponível de PIB foi divulgado em 12/2020 pelo IBGE e tratam das riquezas geradas em 2018. O valor adicionado bruto do PR foi de R$ 382,5 bilhões, já o VAB da agropecuária foi de R$ 36,3 bilhões, o que corresponde a 9,5% do total.

Os empregos no agronegócio incluem os empregos na agroindústria, no comércio atacadista de alimentos e transporte. A agropecuária paranaense gerou no primeiro quadrimestre 3.838 novos postos de trabalho. Os setores que mais geraram foram: Produção Florestal 923 novos postos; cultivo de cana-de-açúcar 837 e atividades de apoio a agricultura 948.

No total, o Paraná gerou 87.804 novos postos de trabalho. Na indústria, a fabricação de produtos alimentícios gerou 3.624 novos empregos, atrás apenas da confecção de artigos do vestuário, este gerou 4.421 novos empregos.

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="768864" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]