O caça às bruxas também no Paraná

Pedro Ribeiro


 

O caça às bruxas, programa de patrulhamento ideológico, iniciado pelo ministro-chefe da Casa Civil do governo Jair Bolsonaro, Onix Lorenzoni, fez escola no governo paranaense de Ratinho Junior. A mesma medida foi adotada no DER, onde a nova diretoria passou a régua e mandou todo mundo pra casa. Até aí, tudo bem, é natural em início de governo. O problema veio a seguir, pois chegaram à conclusão que tinham que chamar algumas pessoas, pois não havia ninguém nem para fazer ofício. A exemplo da Casa Civil federal, houve um desequilíbrio no corpo técnico do DER do Paraná.

Esta sede ao pote geralmente resulta em trapalhadas, como vemos no próprio governo de Bolsonaro, onde há o demite e admite novamente, numa sucessão de erros que pode levar a uma gestão confusa.

Outro caso no Paraná, foi protagonizado pelo secretário de Estado da Fazenda, um carioca que mal conhece o sistema funcional do órgão e teve que engolir, goela abaixo, extratos de investimentos do governo Cida Borghetti, mostrando que foram deixados R$ 5,3 bilhões em caixa. Tudo em função da pressa, de apresentar resultados ao chefe sem, antes, conferir a real situação. No caso da Fazenda, a equipe de transição teve 35 dias para mostrar os números ao secretário e ao governador.

 

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro, jornalista editor-chefe do Paraná Portal
[post_explorer post_id="586303" target="#post-wrapper" type="infinite" loader="standard" scroll_distance="0" taxonomy="category" transition="fade:350" scroll="false:0:0"]