O esperneio de Gleisi Hoffmann pela não soltura do chefão

Pedro Ribeiro

 

O desembargador Gebran Neto, relator do caso Lula, desautorizou o desembargador de plantão que, por muito pouco, não dá um golpe de mestre no país. A senadora Gleisi Hoffmann diz, em seu twitter, que o policial federal de plantão na Superintendência da Polícia Federal, um tal Roberval,  que não soltou Lula, descumpriu ordem e fez parte do golpe. Ao que me parece a tentativa de golpe partiu do desembargador petista Rogério Favreto que, usando seu plantão tentou dar uma carteirada ou canetada para liberar Lula, passando por cima da decisão da Oitava Turma do TRF – 4.

Não satisfeita, a senadora também voltou a acusar Moro que também não poderia dar uma contraordem, já que está em férias. Na esteira entrou o senador Roberto Requião sugerindo que Moro beba vinho e coma bacalhau, já que está em Portugal. Para explicar, Moro entrou em cena porque foi citado.

O desembargador Rogério Favreto foi filiado ao PT por 19 anos e tem uma ligação estreita com o ex-presidente Lula. Ele entrou no partido em 1991, em 2010 quando virou juiz saiu da sigla.
No currículo, estão diversos cargos em governos petistas e chegou ao TRF-4 nomeado por Dilma Rousseff. Ano passado, votou para que o juiz Sergio Moro fosse investigado em processo disciplinar.


 

Post anteriorPróximo post
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.
Comentários de Facebook