O futuro de Lula: cadeia ou Palácio do Planalto

Pedro Ribeiro

Grande parte da população brasileira interessada no futuro do país estará voltada, nesta quarta-feira, ao Supremo Tribunal Federal que, depois de muita polêmica, julgará o habeas corpus do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Não se trata apenas da prisão de Lula, mas também da viabilização de sua candidatura à Presidência da República, onde, hoje, lidera as pesquisas de opinião pública.

A ministra do STF, Rosa Weber, deverá decidir o futuro de Lula. Em agosto, a ministra assumirá a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), justamente no momento em que os registros de candidaturas presidenciais serão analisados. O ex-ministro do STF Carlos Velloso disse, em artigo publicado no Estadão deste domingo, que é favorável a execução da pena após condenação em segunda instância. “Certo é que o entendimento no sentido de se aguardar o trânsito em julgado contribui para a impunidade”, diz, no texto.

Com a condenação pelo Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, Lula está enquadrado como “ficha suja” e terá seu destino na eleição definido pelo plenário da Corte Eleitoral. O petista pode conseguir afastar a inelegibilidade caso consiga uma liminar favorável à sua candidatura.

Em seu twitter, o procurador Deltan Dallagnol, favorável à manutenção da jurisprudência do STF sobre prisão após condenação em segunda instância, escreveu  que estará de jejum na quarta-feira, 4 de abril, dia do julgamento do HC de Lula na Corte. “4ª feira é o dia D da luta contra a corrupção na Lava Jato. Uma derrota significará que a maior parte dos corruptos  de diferentes partidos, por todo país, jamais serão responsabilizados, na Lava Jato e além. O cenário não é bom. Estarei em jejum, oração e torcendo pelo país.”

Previous ArticleNext Article
Pedro Ribeiro
Pedro Ribeiro é jornalista com passagens pela Gazeta do Povo, Folha de Londrina e O Estado do Paraná. Foi pioneiro com a criação do jornal eletrônico Documento Reservado e editor da revista Documento Reservado. Escreveu três livros e atuou em várias assessorias, no governo e na iniciativa privada, e hoje é editor de política do Paraná Portal.